Cultura

"Cultura Portuguesa fica a dever muito" a Graça Moura

"Cultura Portuguesa fica a dever muito" a Graça Moura

O secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, reagiu à morte do escritor Vasco Graça Moura afirmando que "a Cultura Portuguesa fica a dever muito a este homem".

"Ao longo de mais de 40 anos, [Vasco Graça Moura] foi um construtor de palavras, de obras, de feitos, de organizações", afirma Jorge Barreto Xavier, sobre o poeta falecido este domingo, aos 72 anos, vítima de doença prolongada.

"Vasco Graça Moura vai fazer falta", prossegue o titular da Cultura. "Seja como poeta, escritor, tradutor, cronista, gestor cultural ou político, Vasco Graça Moura sempre colocou em tudo aquilo que fez uma paixão e dedicação genuínas e contagiantes. Convocou sempre à sua volta lealdade e dedicação, demonstrando o seu valor não só como criador mas como homem".

"Em cada uma [das suas] missões, Vasco Graça Moura deixou um legado de serviço público, competente, original, criando valor e valores", lembra o governante, na "expressão pública de pesar", na qual lembra o papel do jurista, escritor e poeta, na Expo 98, na RTP, na Fundação Calouste Gulbenkian, na Fundação Luso-Americana, na Imprensa Nacional Casa da Moeda, no Centro Cultural de Belém, entre outras instituições.

"Erudito, cultor e artesão da Língua Portuguesa, é através dela que Vasco Graça Moura nos oferece algumas das suas obras mais perenes. É também pela Língua que travou combates de frontalidade e determinação, coerente com as suas ideias e o seu sentido de sociedade", prossegue o comunicado.

"O rigor, a maestria, o valor da sua escrita valeram-lhe reconhecimento nacional e internacional, como poeta, tradutor e crítico literário. Por essa via, tornou mais rica a Literatura Portuguesa e acessíveis, aos falantes do Português, na forma da excelência da tradução, obras universais", lê-se.

O secretário de Estado da Cultura lembra ainda a vida política de Vasco Graça Moura, na fundação do PPD/PSD, como deputado na Assembleia da República e no Parlamento Europeu.

PUB

"A partida de Vasco Graça Moura é uma dura perda para a Cultura e Política portuguesas", lê-se no comunicado. "A sua permanente determinação, a elegância da sua postura, a inteligência da sua presença" ficarão "como referência", conclui Barreto Xavier.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG