Cinema

Curta portuguesa na seleção de Cannes

Curta portuguesa na seleção de Cannes

"O Cordeiro de Deus", de David Pinheiro Vicente, foi um dos 11 filmes escolhidos

Depois do anúncio, há duas semanas, dos 56 filmes de longa-metragem contemplados com o carimbo Cannes 2020, o festival anunciou hoje a lista de 11 títulos da competição de curtas-metragens. Além da particularidade de seis dos filmes serem dirigidos por mulheres, há um filme português na lista, "O Cordeiro de Deus", de David Pinheiro Vicente.

Apesar de ter apenas 23 anos, este açoriano que cursou na Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa junta assim Cannes à competição de Berlim para que fora selecionado o seu filme de fim de curso "Onde o Verão Vai (Episódios da Juventude)". Não admira pois que David Pinheiro Vicente tenha sido apontado como um dos 10 "próximos realizadores" pela European Film Academy e um dos Dez Novos Realizadores a Seguir pela European Film Promotion.

"O Cordeiro de Deus", uma coprodução entre a portuguesa Artificial Humors, de Gabriel Abrantes, e a francesa La Belle Affaire Productions, parte do imaginário do realizador sobre uma vila no interior de Portugal e cruza as tradicionais festas de verão com violência e sexualidade. Numa quinta do interior de Portugal, um rapaz testemunha uma situação violenta e sexual. Nessa noite, é confrontado com o problema da sua mãe, ter de matar o cordeiro que criam no pátio para as festas da aldeia. O irmão mais novo não se quer despedir do animal, mas ninguém lhe explica o que vai realmente acontecer. As consequências parecem inevitáveis...

Sobre o seu filme, David Pinheiro Vicente adiantou: "Neste retrato de uma família pobre do interior de Portugal, pareceu-me fundamental que as personagens tivessem direito à sua própria natureza contraditória, numa abordagem que não fizesse delas vítimas, mas sim pessoas complexas que, como todas as outras, estão presas nos sintomas dos seus problemas."

O filme de quinze minutos, interpretado por Miguel Amorim, Carla Galvão e Gabriel Salvado, não tem ainda data prevista de estreia em Portugal, mas já foi adquirido para exibição em televisão e online pelo canal Arte France.

Como é sabido, o Festival de Cannes não se realiza este ano. E se os 56 filmes indicados anteriormente não corresponderiam exatamente à seleção caso tivesse havido festival, porque houve muitos realizadores que não aceitaram o selo Cannes 2020, o mesmo não acontece nas curtas, onde estes 11 filmes deveriam ser mesmo os que passariam na Croisette.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG