Lançamento

David From Scotland contam história de resiliência em "eletro-pop"

David From Scotland contam história de resiliência em "eletro-pop"

Três anos após o lançamento de dois EP's, os portugueses David From Scotland voltam a assumir os sintetizadores, desta vez numa estética mais pop. Esta sexta-feira estreiam o primeiro disco de longa duração "Hooligan's Heart".

Se com o lançamento do single "Neon Nymph", David Félix considerava as primeiras canções de David From Scotland "bastante experimentais", estava longe de imaginar fazer o lançamento do álbum de estreia durante uma pandemia.

Dois EP's mais tarde - "Winter Wise" e "Baywatch Drive" -, os contributos de Vítor Pinto e Pedro Rafael e, em 2018, a integração do músico e amigo de longa data Diogo Barbosa proporcionou novos desafios ao grupo de música eletrónica. "Não gosto de o referir como o meu projeto a solo", vinca o criador. "Após tantas colaborações posso pensar nisto como uma banda ou uma espécie de coletivo artístico".

PUB

Com dois singles já lançados - "Futurewillbebetter" e "Fromdusktilldawn" - "Hooligan's Heart" é o nome do primeiro disco de longa duração da dupla e conta com o talento de artistas como EVAYA e Gil Jerónimo. O inesperado cenário pandémico implicou "um processo de produção em teletrabalho". Desta vez não decorreu durante as folgas, "mas em regime de lay-off, com demasiado tempo livre e um aborrecimento permanente".

Do seu lançamento, esta sexta-feira, o público pode esperar "uma história de um coração inquebrável, a lutar entre todas as fases de um relacionamento amoroso trágico", contada através de "sintetizadores quentes", rasgos de "synthwave" e um vislumbre de "eletro-pop". O trabalho também será apresentado às 21.30 horas, em direto no YouTube, onde os ouvintes terão a possibilidade de expor as suas perguntas.

No mesmo dia, o videoclipe do tema "Acceptance" chega às plataformas com a participação de Vítor Pinto e João Losa, parceiros de David Félix e Diogo Barbosa em Malibu Gas Station. "Representa o estado de descrença no fim de um relacionamento amoroso" explica a banda. "Momentos que revemos e posteriormente apagamos, todas as nossas memórias digitais".

De olhos postos no futuro, o duo português espera dias mais otimistas, que teimam em não chegar. "Não podemos dar concertos e nunca fomos fãs de atuações online", assumem. Resta a preparação "para quando o momento de pisar o palco se tornar uma realidade". "Aí vamos saborear cada segundo".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG