Arte do Dia

Deixem-me tocar o meu jazz

Deixem-me tocar o meu jazz

Tenho uma amiga que, sempre que uma situação não lhe corre de feição, remata a conversa com um lacónico "se me deixassem tocar o meu jazz". A expressão só tem piada dita por ela. Tal como o jazz, há matérias que gozam de uma unicidade que só executadas por determinada personagem conseguem triunfar. No dia de hoje, em 1927, estreava o primeiro filme falado, intitulado "The jazz singer".

"O cantor de jazz" (nome na versão portuguesa) foi realizado em 1927 por Alan Crosland. Apesar de ser considerado o primeiro filme falado, é na verdade o primeiro em que há uma sequência de som gravado sincronizado. À época já era normal existirem filmes sonorizados, mas recorrendo a músicos, cantores ou atores que estavam atrás da tela de projeção.

O filme relata a história de um conflito de uma família judia, em que o pai pretende que o filho cante na sinagoga e este quer dedicar-se à música profana. Uma sinopse curiosa, tendo em conta que o jazz germinou numa mescla de várias tradições religiosas, em particular afro-americanas. As improvisações com chamada e resposta, formas sincopadas e polirritmias arrasaram o mundo da música. Com estes trunfos, o filme sonoro foi uma aposta ganha pela Warner Brothers.

Neste filme nasce a célebre frase «You ain't heard nothing yet, folks...».

O filme teve duas sequelas. Em 1953, realizada por Michael Curtiz, com Danny Thomas e Peggy Lee como protagonistas. E outra, em 1980, com um guião adaptado ao rock, com Neil Diamond e Laurence Olivier nos principais papéis, dirigidos por Richard Fleischer (que deu também origem a um álbum).

Aqui pode ver um pequeno trecho do filme:

PUB

De Peggy Lee, o melhor a recordar é a inconfundível "Why don't you do right?

Para quem tem sede de jazz e está no Porto, há várias ofertas que valem a pena. A associação Porta Jazz organiza todas as semanas importantes iniciativas, e uma das mais curiosas é o Blind Date, que ocorre nos Maus Hábitos, onde músicos se encontram por sorteio para darem corpo a uma jam session.

O Hot Clube de Portugal é também um dos locais que mais oferta tem de jazz. Outro dos imperdíveis é o Hot Five, de novo na Invicta, com uma agenda recheada de atuações. Como Ella Fitzgerald interrogava em "Undecided", "You're undecided now. So what are you gonna do?"

O melhor é mesmo ir.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG