Estreia

Derrubar estigmas. Erguer a música

Derrubar estigmas. Erguer a música

Espetáculo estreia esta quinta-feira, às 21 horas, na Casa da Cultura de Paredes

O projeto "Holograma da Casa" estreia esta quinta-feira, às 21h, na Casa da Cultura de Paredes. Os holofotes estão no espetáculo "Derrubar Paredes. Erguer Paredes", um concerto comunitário com a comunidade cigana.

Foram seis sessões com 16 crianças e jovens, perseguindo o objetivo de criar novos públicos sem acesso à cultura, bem como fazer uma troca em que a comunidade cigana se envolve e dá a conhecer a sua cultura aos paredenses.

A autarquia escolheu a comunidade cigana para dar continuidade aos vários projetos em curso que trabalham no combate aos estigmas de esta etnia é alvo, esclarece a vereadora Beatriz Meireles. O presidente, Alexandre Almeida, encara o projeto como "uma aposta ganha e a repetir".

Neste espetáculo há um encontro entre os sons de instrumentos tradicionais, como a guitarra e o cajón, e os sons eletrónicos vindos de tablets e sintetizadores. A criação coletiva passa por várias referências da música cigana, como o gypsy jazz, a rumba flamenca, e artistas contemporâneos.

O percurso foi percorrido em várias sessões de trabalho que juntaram o Serviço Educativo da Casa da Música, no Porto, aos jovens artistas. "Foi o nosso primeiro contacto com a música. As pessoas da Casa da Música deram-nos total liberdade e sempre estiveram lá para nos guiar", afirmaram, ao JN, as participantes Laura e Liliana.

"A música é uma ferramenta de inclusão"

PUB

O projeto foi um desafio lançado à Fundação Casa da Música pela Área Metropolitana do Porto, para levar a música a 17 municípios. O objetivo é criar momentos emotivos que vinculem a população à música erudita, através do acesso a uma programação concebida para os diferentes concelhos.

A desenvolver-se durante dois anos, o projeto pretende alcançar o público geral e proporcionar experiências musicais com raiz pedagógica e educativa, em particular nas comunidades fragilizadas.

Cada edição procura reproduzir a vivência da Casa da Música nos diferentes municípios durante quatro dias consecutivos, de quinta a domingo. Esse é o ponto alto do projeto comunitário, que conta também com atuações de artistas da Casa da Música.

Jorge Prendas, coordenador do serviço educativo da Casa da Música, lembra que
estes projetos não são recentes. "Antes da construção da Casa da Música já existiam. Agora existe é uma convicção reforçada de que a música pode ser uma ferramenta de ajuda na inclusão das pessoas. Mais importante é o processo até ao espetáculo final, em que se desenvolvem as competências e a valorização das pessoas".

Com o objetivo de desenvolver projetos artísticos para ultrapassar debilidades
e criar momentos de celebração, o programa pretende deixar a sua marca para
que se possa repetir. "Os municípios são excelentes parceiros. A vontade é
sempre a de que nos reconheçam e saibam que podem contar connosco para
futuros projetos", afirmou Prendas.

"Derrubar paredes. Erguer Paredes" volta a subir ao palco neste domingo, 3 de outubro, às 18h.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG