O Jogo ao Vivo

Casa da Música

Dez espetáculos a não perder nos 10 anos da Casa da Música

Dez espetáculos a não perder nos 10 anos da Casa da Música

Até domingo, a Casa da Música está em festa. São dez anos de uma atividade intensa que consagrou o projeto no plano cultural, arquitetónico e até turístico. Para que assista ao essencial de um extenso programa comemorativo, o JN sugere dez eventos dirigidos a diferentes públicos e faixas etárias.

Ensaios abertos

Conhecer os bastidores dos concertos, descobrir o modo como os músicos se preparam para um concerto. Estas são apenas algumas das faculdades dos ensaios abertos, que a CdM promove intensamente ao longo de quinta-feira. Orquestra Sinfónica, Orquestra Barroca e Coro da Casa das Música são os agrupamentos que permitem a entrada na sua intimidade artística, mas também será possível espreitar os ensaio de "Ali Babá e as 40 canções":

PUB

Quinta-feira, Sala Suggia, Sala Ensaio 1, Sala 2, todo o dia

Órgão nos Clérigos

Grandes compositores ibéricos dos séculos XVII e XVIII, como António Carreira, Pedro de Araújo e Francisco Correa de Arauxo, vão ser evocados pelo organista Filipe Veríssimo num recital na Igreja dos Clérigos.

Sexta, às 13 horas, na Igreja dos Clérigos

Sinfónica & Coro

Dois dos mais cotados agrupamentos da Casa (Orquestra Sinfónica e Coro) prepararam uma surpresa especial de aniversário. Além de uma obra-mistério, a Orquestra Sinfónica e o Coro da Casa da Música vão interpretar obras de Jörg Widmann ("Con brío, abertura de concerto para orquestra") e Beethoven ("A consagração da casa"). Na ocasião vai ser estreada uma encomenda feita ao compositor português Pedro Amaral.

Sexta-feira, às 21 horas, na Sala Suggia

Ali Babá e as 40 canções

Espetáculo do serviço educativo que cruza algumas das mais célebres árias ocidentais com uma atmosfera típica das mil e uma noites. Com direção artística de Maria João Alves, "Ali Babá e as 40 canções" é interpretado por Ângela Alves, Gabriel Neves, João Tiago Magalhães e Miguel Reis.

Sábado, às 16.30 horas, na Sala 2.

Barroca

Num dia tão preenchido como é o sábado, não será fácil compatibilizar horários para conseguir ver tudo o que a programação oferece. Das propostas que urge ver, realce-se a atuação da Orquestra Barroca da Casa da Música, que se propõe interpretar obras-primas deste período musical, como o concerto para cravo em lá maior, de Carlos Seixas.

Sábado, às 18 horas, na Sala Suggia

Capicua/Best Youth

Em clara ascensão no panorama musical português, Capicua e Best Youth têm em comum tanto o talento como as raízes portuenses. A 'rapper' tem somado êxitos na sua ainda curta carreira: do disco de estreia, em 2012, ao recente "Medusa" passaram apenas três anos, tempo, no entanto, suficiente para arregimentar já um punhado nada negligenciável de seguidores.

Ed Rocha Gonçalves e Catarina Salinas, por seu turno, formam os Best Youth, duo que chamou as atenções com "Winterlies". Há poucas semanas foi lançado o sucessor, "Highway moon", que tem conquistado lugares de relevo no 'airplay' nacional.

Sábado, às 23.30 horas, na Sala 2

Tricky

Embora já se tenha perdido a conta ao número de aparições do polémico músico britânico junto do público indígena, os seus espetáculos têm sempre a rodeá-lo uma legítima expectativa. No seu melhor - ou seja, quando está para aí virado... -, o outrora puto maravilha do trip-hop consegue ser empolgante. Uma dúvida para ser desfeita no NOS Club.

Sábado, às 0 horas, na Sala Suggia

Som da Rua

Cada atuação do Som da Rua, projeto de inclusão musical que reúne dezenas de pessoas, é sinónimo de intensidade emocional extrema, tamanha a entrega de cada membro. Desta vez, os 80 participantes do projeto têm por missão recriar um reportório da autoria de compositores e letristas consagrados.

Sábado, às 16 horas, na Sala 2

Laginha com Banda Sinfónica

Do cruzamento entre Mário Laginha e a Banda Sinfónica Portuguesa - previsto para as 12 horas de domingo, na Sala Suggia - não há a esperar senão virtuosismo. Ainda por cima, no reportório escolhido cabem George Gershwin ("Rhapsody in blue"), Philip Sparke ("A weekend in New York"), Dirk Brossé ("Philadeplhia overture") e Luis Serrano Alarcón ("Memórias de un hombre de ciudad").

Domingo, às 12 horas, na Sala Suggia

Orquestra Jazz de Matosinhos com Kurt Rosenwinkel

A Orquestra Jazz de Matosinhos não é propriamente estranha para Kurt Rosenwinkel, proeminente guitarrista norte-americano. A ligação entre ambos remonta já a 2008, ano em que partilharam pela primeira vez o palco. Dois anos depois, essa relação intensificou-se, com a gravação de "Our secret world". O reencontro do agrupamento matosinhense vai acontecer em plena festa dos 10 anos da CdM e consiste em arranjos da autoria de Carlos Azevedo, Pedro Guedes e Ohad Talmor sobre composições de Rosenwinkel concebidas para pequenas formações.

Domingo, às 21 horas, na Sala Suggia

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG