Cinema

Dois realizadores acompanham sessões dos seus filmes no Porto

Dois realizadores acompanham sessões dos seus filmes no Porto

Esta noite, o público poderá conversar com os realizadores André Guiomar e José Magro, depois de ver os seus filmes. O primeiro vai estar na Trindade, numa sessão especial de "A nossa terra, o nosso altar" e o segundo estará na Casa das Artes, onde será projetada a sua curta-metragem "Nha Sunhu".

O serão desta quarta-feira será especial para quem gosta de cinema português, no Porto, onde haverá dois momentos cinéfilos à escolha - e em simultâneo -, em dois locais da cidade. Dois realizadores estarão a acompanhar as sessões dos seus filmes e disponíveis para conversar sobre eles com o público. São eles André Guiomar, que acompanha a sessão das 21.30 horas da sua longa-metragem "A nossa terra, o nosso altar"; e José Magro, que estará nos jardins da Casa das Artes, onde a sua curta-metragem "Nha Sunhu", será projetada (também naquela hora), juntamente com outras quatro curtas selecionadas do Festival de Vila do Conde.

PUB

André Guiomar filmou o desmantelamento do bairro do Aleixo entre 2013 e 2018 para criar o documentário "A nossa terra, o nosso altar", que vai na terceira semana de exibição no Cinema Trindade, na Baixa, e deverá continuar em cartaz, segundo disse ao JN o responsável pela sala, Américo Santos. "É o acontecimento do momento no Trindade", declarou.

O realizador já esteve presente noutras duas sessões especiais, e estará agora novamente numa sessão especial, que contará ainda com a presença de Luísa Ferreira, uma moradora do Aleixo, para uma conversa com o público, no final, moderada pelo jornalista Marcos Cruz. A sessão começa às 21.30 horas, e o bilhete custa 6 euros, ou 4,5 euros para portadores do Tripass.

À mesma hora que começa o filme de Guiomar na Trindade, começa também a projeção das quatro curtas que marcam o regresso das "Noites de Boris", uma iniciativa do Cineclube do Porto, com parceria da Casa da Animação na programação, que terá projeções esta quarta feira, dia 17, e ainda na quarta seguinte, dia 24 de agosto, no jardim da Casa das Artes, na Boavista. A entrada é livre.

Nesta primeira sessão, serão projetadas quatro curtas-metragens portuguesas, entre as quais "Nha Sunhu", do realizador portuense José Magro, que estará presente na sessão. Com 20'3''', o filme de 2021 conta a história de Issa, futebolista bissau-guineense que joga em Portugal, é contactado por dois realizadores de cinema que desejam fazer um documentário. Nessa senda, vão-se expondo as vozes por trás da câmara, numa reflexão sobre olhar e representação do outro.

Ainda esta noite, podem-se ver mais três curtas, na Casa das Artes: "Mulher da minha gente" (2022), de Nicole Noia; "A brief history of Princess X" (2016), de Gabriel Arantes; e ainda "Um quarto na cidade" (2021), de João Rui Guerra da Mata, João Pedro Rodrigues . No dia 24 de agosto, as "Noites de Boris" serão dedicadas a curtas de animação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG