Guimarães 2012

Jovens mostram curtas sobre a saudade dos emigrantes

Jovens mostram curtas sobre a saudade dos emigrantes

Um grupo de 13 jovens apresentou em Guimarães cinco curtas-metragens que estabelecem o paralelo entre a atual vaga de emigração e a dos anos 1970. São filmes sobre a saudade que atinge as pessoas que deixam o país em busca de uma vida melhor, "mas também sobre as suas motivações e dificuldades", diz Mariana Pinho, produtora do projeto Borderline.

Os filmes foram gravados e produzidos por jovens de oito nacionalidades, ao longo de um mês, sempre "a bordo"de um autocarro. Borderline retrata, entre outras histórias, os exemplos de pessoas oriundas de países de Leste que, com licenciaturas mas sem emprego, se lançam para outros países para aceitar trabalhos de, por exemplo, limpeza doméstica. Visitaram dez cidades e percorreram "mais de cinco mil quilómetros", conclui, numa experiência que ficou marcada por muitos percalços, mas pelo reforço das ligações de amizade que já une os 17 passageiros, motorista incluído, do autocarro do Borderline.

Já em tela, as "curtas" tiveram um auditório repleto na estreia mundial, anteontem, no "São Mamede", em Guimarães, no âmbito da Capital Europeia da Cultura. Agora, a viagem cinematográfica parte para os cineclubes do país.