Cultura

A preposição: regências verbais (IV)

A preposição: regências verbais (IV)

Para terminar o assunto das regências verbais, hoje abordaremos alguns dos verbos que podem ainda suscitar dúvidas quanto à sua sintaxe.

Assim, por exemplo o verbo "interessar", com o significado de "importar", "ser proveitoso" ou "captar a atenção" pode ser transitivo direto - (A matéria interessou os alunos) - ou transitivo indireto, exigindo a preposição "a": Esse assunto interessa a toda a gente. No caso de ser pronominal, sinónimo de "empenhar-se", constrói-se com a preposição "por": Vou interessar-me por este assunto.

O verbo "preferir" é transitivo direto e indireto, ou seja, possui um complemento direto (complemento sem preposição) e um complemento indireto (complemento com preposição): Prefiro peixe a carne; prefiro passear a ver TV. Não é, pois, correto dizer: Prefiro peixe do que carne.

O verbo "protestar", se significar "manifestar", é transitivo direto: Protestou a sua crença. Contudo, se for sinónimo de "revoltar-se", exige a preposição "contra": Protestaram contra os impostos. Mas pode também significar "reclamar" ou "exigir" e, neste caso, constrói-se com a preposição "por": Os professores protestavam por melhores condições de trabalho.

O verbo "responder" com o sentido de "dar uma informação", "reagir" ou "satisfazer uma pergunta" é transitivo indireto (complemento com a preposição "a"): Respondeu à pergunta do advogado. Não respondas a provocações. Se for um verbo pronominal, com o significado de "responsabilizar-se" recorre à preposição "por": Respondo pelos meus atos; se me desafias, não respondo por mim.

O verbo "sobreviver" com o significado de "manter-se vivo" é transitivo indireto e utiliza a preposição "a": O homem sobreviveu ao acidente.

* Professora de Português e formadora do acordo ortográfico

jn.acordoortografico@gmail.com