Cultura

Classes de palavras: o quantificador (II)

Classes de palavras: o quantificador (II)

O quantificador é uma palavra que exprime informação relacionada com número, quantidade ou parte do nome a que se refere.

Depois de, na semana passada, termos abordado o quantificador existencial e o interrogativo, hoje, trataremos o quantificador relativo, o universal e o numeral.

O quantificador relativo exprime uma ideia de quantidade total em relação ao nome que o antecede, com o qual concorda em género e número, e que é acompanhado de um quantificador. Assim, é uma palavra que faz parte do constituinte relativizado numa frase relativa, especificando o núcleo nominal e precedendo-o. Os quantificadores relativos são "quanto(s)", "quanta(s)": "Utilizámos tantos condimentos quantos existiam na cozinha".

Este tipo de quantificador também pode introduzir uma oração subordinada adjetiva relativa, funcionando como conetor entre a oração subordinante e a subordinada que introduz: "O homem fez o mesmo caminho tantas vezes quantas as necessárias".

Frequentemente, o antecedente do quantificador relativo é omitido: "Dá trela a quantos há na freguesia". (Miguel Torga, "Contos da Montanha"), ou seja, "dá trela a tantos rapazes quantos há na freguesia".

O quantificador relativo pode também ser precedido de "tudo": "Fiz tudo quanto me pediste".

O quantificador universal induz uma leitura do grupo nominal relativa a todos os elementos do conjunto considerado. São quantificadores universais "todo(s)", "toda(s)", "ambos", "nenhum(a)", nenhuns (as); "cada", "qualquer"/ "quaisquer". Vejamos os seguintes exemplos: "Todo o ser humano erra". (= Para todo o ser humano, verifica-se que ele erra). "Qualquer criança deve ser amada". (= Para qualquer criança, verifica-se que deve ser amada.)

Os quantificadores "todo" e "ambos" são sempre seguidos de um artigo definido ou de um determinante demonstrativo ou possessivo: "Ambos os irmãos são excecionais". "Todos os meus amigos são honestos".

Em determinados contextos, a palavra "qualquer" tem valor indefinido e não universal. Vejamos o seguinte caso: "O homem ofereceu qualquer coisa ao empregado".

"Tudo" e "nada" ocorrem como quantificadores, antecedendo pronomes demonstrativos em construções como as seguintes: "Tudo isto é perfeito". "O homem não recebeu o fundo de desemprego: nada disto faz sentido". "Tudo isto é chover no molhado".

Em síntese, o quantificador universal é aquele que antecede o nome, especificando quantitativamente todos os elementos do conjunto designado pelo nome, ou seja, é aquele que refere todos os elementos de um conjunto, incluindo-os ("Todos os empregados foram aumentados") ou excluindo-os ("Nenhum funcionário foi despedido").

O quantificador numeral expressa uma quantidade numérica. Neste grupo, incluímos os quantificadores cardinais (um/uma, dois/duas, três...); os multiplicativos (dobro de, triplo de...) e os fracionários (meio/ metade de, terço de).

jn.acordoortografico@gmail.com

* Professora de Português e formadora do acordo ortográfico

Imobusiness