Cultura

Porque, por que, porquê (II)

Porque, por que, porquê (II)

Relativamente à utilização de "por que", urge salientar duas situações. Na primeira "por" aparece como preposição, ligado ao pronome relativo "que", sendo sinónimo de "pelo qual", "pela qual", "pelos quais", "pelas quais".

Vejamos os seguintes exemplos: "Este é o objetivo por que ele sempre lutou"; "o dinheiro por que vendi o meu carro foi muito bom".

Na segunda situação, a forma "por que" tem outro valor, quando o "por" é preposição e o "que" pronome interrogativo: "Por que estás à espera?" Trata-se de uma oração interrogativa direta, sinónima a "por que coisa estás à espera". É diferente de "porque estás à espera?", pois, na primeira frase, há um objeto e não implica causa; assim, em "porque estás à espera" não há objeto; a frase implica causa.

E em que situações se utiliza "porquê"?

A palavra "porquê" escreve-se quando se trata de um advérbio interrogativo ou quando é substantivo.

Vejamos os seguintes exemplos:

"Estás aborrecido porquê? Diz-me porquê. Porquê todo este aborrecimento?" Nestes casos "porquê" funciona como advérbio interrogativo.

Quando designa "causa, motivo, razão" e vem precedido de um determinante também se utiliza "porquê". Atentemos nas seguintes frases: "Precisamos de compreender o porquê destes constrangimentos".

* Professora de Português e formadora do acordo ortográfico

jn.acordoortografico@gmail.com

Outras Notícias