Cultura

Preposições e pronomes: um casamento impossível

Preposições e pronomes: um casamento impossível

Há relações impossíveis e uma delas é a das preposições "de" e "em" com os pronomes pessoais, forma de sujeito.

Assim, na frase "o facto de eles serem irmãos é determinante para o negócio", não se pode contrair a preposição "de" com o pronome pessoal "eles", pois, neste caso, o pronome desempenha a função de sujeito e a preposição relaciona-se com o infinitivo e não com o pronome.

Vejamos outros casos exemplificativos: "um pouco antes de ele entrar, ela saíra"; "o caso está em eles aceitarem as condições"; "o importante está em ela concordar com as condições".

Em síntese, é incorreto contrair a preposição "de" e "em" com o pronome ele(s), ela(s), quando estes funcionarem como sujeito de uma oração.

Quanto à preposição "com" deve ser obrigatoriamente contraída com pronomes pessoais oblíquos, exceto na terceira pessoa (comigo, contigo, connosco e convosco). Connosco é a exceção, pois pode estar expressa quando anterior a um numeral cardinal (exemplo: com nós três).

* Professora de Português e formadora do acordo ortográfico

jn.acordoortografico@gmail.com

Outras Notícias