Polémica

Educadores de Serralves apelam aos Fundadores

Educadores de Serralves apelam aos Fundadores

A equipa de Educadores do Serviço Educativo de Serralves endereçou carta aberta a vários Fundadores de Serralves, no contexto do Conselho de Fundadores que se realiza esta sexta-feira.

A carta aberta faz um apelo ao "apoio das boas práticas laborais e reconhecimento da importância e qualidade do trabalho dos educadores de artes da Fundação de Serralves (FS) e surge no seguimento da total falta de resposta da Administração ao envio do abaixo-assinado pela integração dos trabalhadores", que reuniu mais de 2 000 assinaturas.

Dos Fundadores contactados pela equipa destacam-se o Estado Português (Presidência da República e Ministério da Cultura), Banco BPI, Fundação EDP, Douro Azul, Associação Comercial do Porto, Associação Empresarial de Portugal, Álvaro Siza Vieira, Câmaras Municipais do Porto, Matosinhos e Barcelos.

Na carta, os educadores instam "à regularização dos 21 falsos recibos verdes do Serviço Educativo Artes da FS, identificados pela Autoridade para as Condições do Trabalho após ação inspetiva".

Os educadores dizem que "a Dra. Ana Pinho [presidente do Conselho de Administração da Fundação de Serralves] anunciou, em sede de audiência parlamentar sobre este tema, que não pretende respeitar a lei nem a notificação da ACT, e que se prepara para disputar esta decisão em tribunal" e acusam a Administração de Serralves de "desviar parte dos fundos de Serralves, em grande parte resultantes do financiamento dos seus Fundadores, e gastar milhares de euros para manter uma situação de falsos recibos verdes que a autoridade inspetiva já declarou ilegais".

A carta faz um apelo a que a fundação reveja a sua posição e reverta a situação, encetando um diálogo com os educadores, como está a fazer com trabalhadores de outros departamentos, com quem se encontra a negociar a revisão da situação contratual.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG