"Rust"

Eletricista-chefe processa Alec Baldwin por negligência em incidente fatal

Eletricista-chefe processa Alec Baldwin por negligência em incidente fatal

O eletricista-chefe da rodagem do filme "Rust", onde Alec Baldwin matou acidentalmente a diretora de fotografia Halyna Hutchins no mês passado, está a processar o ator e outros membros da equipa por negligência.

O processo civil, aberto em Los Angeles por Serge Svetnoy, cita quase duas dúzias de réus. Na quarta-feira, em conferência de imprensa, o eletricista-chefe, de 63 anos, disse ter visto armas paradas no chão poucos dias antes do tiroteio fatal, acrescentando que havia alertado os responsáveis por elas.

Svetnoy alega ainda, segundo a BBC, que, no dia do incidente, "sentiu uma lufada estranha e assustadora do que parecia ar comprimido" quando a arma disparou e foi atingido por "materiais de descarga da explosão".

O eletricista-chefe, que era amigo de Hutchins, ajoelhou-se para tentar ajudar a diretora de fotografia, atingida no peito pelo tiro, mas em vão.

Svetnoy já tinha reprovado anteriormente as medidas de segurança na rodagem do filme, tendo justificado a tragédia com a "negligência e a falta de profissionalismo" da produção.

Nenhum dos réus mencionados no processo comentaram publicamente os últimos acontecimentos, mas a advogada da armeiro do filme Hannah Gutierrez-Reed, responsável pelas armas e munições, emitiu um comunicado a reiterar que não sabia que a pistola estava carregada.

PUB

"Estamos a pedir uma investigação completa de todos os factos. Estamos convencidos de que foi sabotagem e Hannah está a ser incriminada. Acreditamos que a cena foi adulterada antes da chegada da polícia", afirmou o advogado Jason Bowles.

Por seu lado, a procuradora do condado de Santa Fé, Mary Carmack-Altwies, disse que os investigadores "não têm nenhuma prova" de sabotagem.

O acidente ocorreu enquanto estavam a ser filmadas várias cenas do "western", do qual Alec Baldwin era produtor e protagonista. O ator recebeu uma arma que, ao contrário do que pensava o assistente de realização que a entregou, tinha munições reais. Ao manusear a arma no cenário, em vez de disparar pólvora seca, Baldwin desferiu um tiro fatal sobre a diretora de fotografia, atingindo-a no peito. A mesma munição feriu no ombro o realizador Joel Souza, que está livre de perigo e já teve alta do hospital.

As autoridades ainda estão a investigar o incidente e não foi feita nenhuma acusação criminal contra ninguém.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG