Polémica

Eminem criticado por comparar-se com bombista de atentado em Manchester

Eminem criticado por comparar-se com bombista de atentado em Manchester

O rapper norte-americano Eminem está a ser alvo de fortes críticas por causa da letra de uma das músicas do novo álbum, lançado esta sexta-feira, em que se compara ao terrorista que se fez explodir após um concerto de Ariana Grande, em Manchester, em 2017.

Na canção "Unaccommodating", do disco "Music to Be Murdered By", lançado de surpresa esta sexta-feira, o artista de 47 anos faz referência ao atentado que vitimou 22 pessoas no fim de um concerto de Ariana Grande na noite de 22 de maio de 2017, quando o terrorista Salman Abedi, ligado ao Estado Islâmico, detonou uma bomba na Manchester Arena, em Inglaterra.

Na música, Eminem diz: "Mas estou a pensar em gritar 'bombas' no jogo / Como se estivesse do lado de fora de um concerto de Ariana Grande à espera". As reações negativas à letra de "Unaccommodating" não se fizeram esperar. Horas após o lançamento do novo disco, eram já muitas as críticas nas redes sociais, observa o jornal "The Guardian".

A mãe de Charlotte Hodgson, uma adolescente de 15 anos que morreu no ataque, disse que a música é "nojenta" e "desrespeitosa". Figen Murray, cujo filho de 29 anos, Martyn Hett, foi também uma das vítimas, afirmou que é uma canção "sem sentido".

"Parece que ele [Eminem] está a atacar a fama de Ariana Grande e Justin Bieber e diz coisas desagradáveis ​​sobre outras celebridades", escreveu a mulher no Twitter. "Não é inteligente. Totalmente sem sentido. E antes que todos os fãs do Eminem me atacem, não estou interessada e não me vou envolver".

Figen Murray fez campanha pela introdução da Lei de Martyn, que exigiria que os estabelecimentos introduzissem condições de segurança mais rigorosas. Outros utilizadores juntaram-se às críticas no Twitter, dizendo-se "enojados" com a letra, descrita como "uma tentativa patética de chamar atenção".

"Estou enojado. Como é que ele ou a sua equipa pensaram que seria normal? É lixo", escreveu um utilizador. Outro disse: "O facto de Eminem fazer uma piada sobre o ataque de Manchester na sua música deixa-me doente, não pode escapar imune. Ele disse o nome dela [Ariana Grande] e não pode negar. É repugnante. Quão insensível é preciso ser para dizer algo assim".

Um utilizador afirmou que o rapper devia mostrar um pouco de respeito por aqueles que morreram e pelos que ficaram feridos: "Isto é uma loucura! Muitas pessoas (principalmente crianças) ficaram feridas nesse concerto e algumas até perderam a vida, e ele acha que é normal colocar essa letra numa música? Eminem, tenta ter um pouco de respeito e não uses um ataque terrorista para ganhar destaque".

É a segunda vez que o rapper faz referência ao atentado de Manchester nas suas letras. Num rap de estilo livre de 2018, com a advertência de que "nada está fora dos limites", rimou: "Esmagado entre uma máquina de lavagem cerebral / Como um regime islâmico, um jiadista radical extremo / Bombista suicida que está a ver / Ariana Grande a cantar a última música da noite / E enquanto o público do maldito concerto está a sair / Detona o dispositivo preso à região abdominal / Não vou terminar, por razões óbvias".

Ainda na nova música "Unaccommodating", Eminem também se compara a Saddam Hussein e Ayatollah Khomeini e faz referência aos ataques do 11 de Setembro.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG