"O humor é meu pastor, nada me faltará"

"O humor é meu pastor, nada me faltará"

Há autores morais, imorais e depois há Reinaldo Moraes, o escritor brasileiro que, com "Pornopopeia", lançou "uma granada literária". Embebida em sexo e humor (ou vice-versa), a sua obra merece ser descoberta com urgência.

De erudição, humor e "muita cara de pau (e buceta"), nas palavras do próprio, é feita a escrita de Reinaldo Moraes. O autor paulista, de 68 anos, deu-se a conhecer ao público português há meia dúzia de anos com o excessivo "Pornopopeia", odisseia libidinosa que causou furor em numerosos países. "Humidade" e "O cheirinho do amor" são outros livros deste antigo argumentista, entrevistado pelo JN a propósito da representação do sexo na literatura de língua portuguesa. Para ler sem moderação.

Muitos escritores, até consagrados, revelam a sua dificuldade chegada a hora de descrever cenas íntimas. É mais difícil escrever sobre sexo do que fazê-lo?
Se o escritor não tem travas morais na mão, ou papas na língua, como também se diz, as dificuldades de descrever coreografias sexuais de seus personagens são, em princípio, as mesmas que ele encontra ao criar cenas em que fulano frita um bife ou fulana saca dinheiro no caixa eletrónico. Em havendo as tais travas ou papas, a dificuldade em superá-las não é de ordem literária, mas psicanalítica.

Quais as principais 'armadilhas' que um autor enfrenta quando escreve sobre sexo?
A principal dessas armadilhas, creio eu, é apelar para formas artificiosas e eufemísticas de lirismo no afã moralista de evitar a vulgaridade. O segredo aqui, imagino eu, é entregar-se ao vulgar e mesmo ao chulo, com toda a cara de pau (e de buceta) possível, mas com astúcia estilística. E o que seria "astúcia estilística"? Ora, sei lá eu.

Por que é que o humor desempenha um papel tão importante nas passagens em que escreve sobre sexo?
O humor é meu pastor, nada me faltará. E, se faltar, paciência. Na verdade, eu encaro as tais "cenas de sexo" como fartas possibilidades de se praticar essa arte dos deslocamentos entre significante e significado, entre expectativas e efetivas realizações - entre desejo e realidade, enfim - que está na essência mesma de qualquer forma de humor.

Para escrever sobre sexo é preciso ser-se excessivo e desbragado, como fez em "Pornopopeia"?
No meu caso, temo que seja inevitável.

Há autores que defendem que a língua portuguesa não é suficientemente variada em matéria de palavras ligadas ao sexo. A solução é partir para a inventividade, como fez em "Pornopopeia"?

Quanto à primeira afirmação, tome-se dois exemplos encontrados no "Dicionário Informal" da internet:

Sinónimos de Pénis:

alavanca-de-arquimedes aparelho porongo arame arma badalhoco badalo bagre banana barbarroxa bicho bimba bordão brachola caceta cacete cahado caibro camandro cambanje cambão canivete caralho careca carimbo catano catatau catso cazzo chouriço cobra espada espeto espiga estaca estrovenga ferramenta ferro fumo fuso ganso instrumento jeba judas lascão lenha lingüiça madeira mala malho mangalho mango manjuba manzape manzapo marsapa marsapo marzapo mastro mastruço membro minhoca minhocão minhocuçu nabo negócio nervo parte parte central passarinho pau pau-barbado pau-barbudo pau-de-cabeleira pau-de-fumo pau-de-sebo pé-de-mesa peça peia peru pica piça picha pichuleta picirica piciroca picolé picolé-quente pila pimba pingola pinguelo pingulin pino pinto piroca piru pirulito pissa pistola pito piu-piuporraz porrete prativai pua reta robalo rola sarrafo seringa tora trolha vara verg a vergalho pinto pênis cacete caralho pau pica pistola banana pirulito salsicha rôla benga piróca pipi kibe bingolinha salame verga penba linguiça minhoca bráulio tora vibrador falo bilau coibra caolha dedo sem unha ciclipe risonho bombeirão bracinho sem mão joe caripuna joão sem braço cobra de calça sem ombro trôlha bingola cana sucuri anaconda careca de gola rolê foda exímio neca trompa pimboca pincel ponteiro abono de família porra drejo bregalho pirilau pichota basalto pirola pissalho piçalho bitola blica black and decker bordalo bacamarte besugo quinta perna do burro sabordalhão.

Sinónimos de Buceta:

boceta prencheca vagina xana pitrica perseguida xereca prexeca perereca cona putz carne mijada boca de cabelo xoxotinha porra troço buceta bucetinha bucetasso bucetão bucéfula caixa dos prazeres zona do agrião abençoada acolhedora aquilo que eu gosto aranha área vip aveludada babaca bacalhau bacurinha bainha banguela cabeluda barata bicho que mata o homem bife à rolê biscoito recheado boca de baixo boca vertical boca banguela borboleta brecheca buça bueiro onde desce o careca buraco da serpente buraco no meio da floresta cabaça cachuleta caixinha de ouro caminho da felicidade campo alagado capô de fusca carne vaginosa casa do caralho caverna misteriosa chana chavasca checheca chimbica xoroca cocota concha copo de fazer milkshake crista de galo custozinha desejada desgraça de macho dita-cuja engole-espada esfiha fenda divina flor da mulher fonte da vida fornicada fruto proibido furustreca gar agem da frente gulosinha house of love jóia katchanga lábios de fêmea largo do bilau levanta astral lindinha lixa-pica luvinha machadada marisco massa folhada mede-rola meio de vida mela-pentelho melequinha miséria my precious nhanha ninho de rola nugget de peixe ostrinha papa-duro paraíso parmesão passarinha pecado pechereca pereteca periquita pimpolha pitchulinha pixota pombinha porca do parafuso porta tacos porteira do caralho procurada pussy quebra-pinto quintinha racha receptora repartida rolinha rua sem saída saca-rola saída de filho da puta sapeca setor de embarque sirica citérna de porra sonho recheado suadinha suvaco de coxa tabaca talho taturana tchaca tchonga tchuchuca tentação testador de batina tesouro de pobre testão tobinha toca encantada tomba-macho travesseirinho trem partido trevo triângulo túnel do afogamento uh-tererê vadjaina vajoca valiosa velcro viela funda xabasca xampola xaninha xebreca xexeca xotinha e xumbrega tixé taio taioba lanho greta xulipa xoxota banguela suga pinto boca-de-gia tabaco sapo boi pastel de pelo sapa x chalerinha tcheca escova molhadinha boquinha de veludo pataca losângo oba! xibio chibio xatico chatico dona bembem bolcinha sacola maleta bolsinha boca cabeluda maravilha magnitude ingênuo priquito caixeta adorada órgão sexual feminino xavasca depósito de porra olho de tandera tabaqueira chereca priquita copo de vênus navalhada vulva piriquita bucetona diurca xota genitália feminina coisa importante da mulher.

Será que tais autores ainda pensam que "a língua portuguesa não é suficientemente variada em matéria de palavras ligadas ao sexo"?

Ao contrário do que acontece com a literatura portuguesa, a brasileira lida muito bem com o tema. É o "jeitinho malandro" que explica essa diferença?
Os portugueses aportaram em terras brasileiras e imediatamente foderam todas as índias que encontraram pela frente. Depois, eles e seus descendentes diretos trouxeram para cá os africanos tornados escravos e se fartaram na carne negra das fêmeas desse grupo étnico, criando, inclusive, a figura esplêndida da mulata, cantada em prosa e verso pelos poetas priápicos d'aquém e d'além mar. De tanta fodelança resultou o "jeitinho malandro" a que você se refere, num mix carnal luso-afro-sul-americano. Donde se infere que os portugueses são ativos coautores das obras literárias brasileiras que supostamente "lidam muito bem" com o sexo. Não se exima, meus caros - relax and enjoy!

São frequentes as referências à literatura portuguesa nos seus livros. Em que sentido o influenciaram?
No sentido de que "minha pátria é minha língua", como diz o poeta. E a mais importante província dessa pátria é, e sempre será, Portugal. Ave Eça, saravá Pessoa, aleluia Vieira!

O "pornográfico é o erótico visto de perto", como dizia o poeta português Vasco Graça Moura?
Grande definição do Vasco Graça Moura. Se você acrescentar o verso de Caetano, "de perto, ninguém é normal,' temos plenamente formulada a equação do sexo na literatura e na vida.