Banda Desenhada

Faleceu Philippe Tome, argumentista de Spirou

Faleceu Philippe Tome, argumentista de Spirou

Philippe Vandevelde faleceu aos 62 anos de idade. Mais conhecido como Tome, foi o responsável pelos argumentos da série "Spirou" entre 1981 e 1998, tendo contribuído decisivamente para sua modernização.

Nascido a 24 de Fevereiro de 1957, em Bruxelas, na Bélgica, deu os primeiros passos profissionais na BD como assistente de Dupa, em "Cubitus", primeiro e, depois, de Turk e De Groot em "Robin da Mata" e "Leonardo".

Começou a trabalhar na redacção da revista "Spirou" e, após algum tempo, foi convidado para assumir a principal série da publicação. Decidido a experimentar o desafio, pôs como condição o desenho ser entregue a Janry (Jean-Richard Geurts), que conhecera anos antes durante um curso de BD e com quem criara grande cumplicidade em diversos projectos.

Herdeiro de uma série fundamental da banda desenhada franco-belga, criada por Rob-Vel (Robert Velter), em 1938 e, depois disso, assumida por Jijé, Franquin, Fournier e Nic e Cauvin, Tome e Janry estrearam-se com "Vírus", em 1982. Figuradamente, a modernização da série começou pelo abandono do uniforme de groom, que era a imagem de marca de Spirou. Em termos temáticos, houve uma grande aproximação à actualidade e o acentuar do tom aventureiro e policial, a par de um incremento de violência que tornou a série mais apetecível para um segmento etário mais elevado.

Em paralelo, a partir de 1990, Tome e Janry começaram a propor igualmente as peripécias de infância do herói em "O Pequeno Spirou", ainda em publicação e adaptado ao cinema em 2016, em histórias de uma ou duas páginas que apresentavam o futuro aventureiro como um miúdo atrevido e provocador de grandes confusões.

Após 14 álbuns, Tome a Janry despediram-se de Spirou em 1998 com um álbum marcante, "Máquina que sonha", que significava um passo (gigante) em frente no assumir de um tom mais adulto pela série, mudança que, recusada pela editora Dupuis, se ficaria por esse único relato.

Todos os álbuns de Spirou escritos por Tome, premiado por três vezes em Angoulême em parceria com Janry, estão publicados em português, assim como outras criações suas, nomeadamente dois álbuns de "Soda" e outros tantos de "O Pequeno Spirou".