Porto

Fórum do Futuro debate legado do colonialismo

Fórum do Futuro debate legado do colonialismo

"Crossings-travessias" é o tema da edição 2019 do Fórum do Futuro - Festival de pensamento, que decorre entre os dias 3 e 9 de novembro, no Porto.

A reboque da celebração dos 500 anos da Viagem de Circumnavegação de Fernão Magalhães, a edição 2019 do Fórum do Futuro - Festival de Pensamento, escolheu o mote "Crossings/Travessias" para convocar um novo debate sobre um planeta em transição e a multiplicação das consequências políticas, sociais e culturais produzidas por esse acontecimento que transformou o Mundo.

Entre os dias 3 e 9 de novembro, como assinalou Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto, 52 "figuras centrais do discurso cultural e das ciências sociais e humanas" vão abordar "novos entendimentos sobre como lidar com o legado colonial".

"Crossings/Travessias" é precisamente o tema da intervenção que vai abrir o certame, dia 3, protagonizada pela multipremiada escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie. A ativista, uma das maiores vozes do feminismo da atualidade, subirá ao palco do Rivoli.

Arthur Jafa é outro dos grandes trunfos do evento. O artista, que foi este ano premiado com o Leão de Ouro na Bienal de Veneza, participa numa conferência, dia 9, sobre "Poder, beleza e alienação", no auditório do Museu de Serralves. No dia seguinte, será exibido, no Trindade, o seu filme realizado a partir da icónica frase de Martin Luther King", "I have a dream", que intitulou "Dreams are colder than death".

Outro dos destaques será o veterano ator de cinema norte- americano Danny Glover, que estará no Fórum enquanto ativista e embaixador da Unicef, para falar sobre a história ainda não concluída da sobre "Escravatura, Justiça, Reparações", no dia 5. Figura fulcral do ativismo ambiental, a indiana Vandana Shiva, falará, no dia 5, sobre "Colonização, a nova como a antiga".

Para além de Guilherme Blanc, diretor artístico do certame, haverá um painel de curadores, que inclui a portuguesa Filipa Ramos, o galês Gareth Evans e o ganês John Akomfrah.

O orçamento para o certame é de 260 mil euros. As sessões são todas de entrada livre e decorrem no teatro Rivoli, na Fundação de Serralves, na Galeria Municipal do Porto, na Casa da Música e no cinema Trindade.

Outras Notícias