Coronavírus

GDA antecipa distribuição dos direitos aos artistas prevista para julho

GDA antecipa distribuição dos direitos aos artistas prevista para julho

A GDA (Gestão dos Direitos dos Artistas) vai antecipar o pagamento dos direitos do Audiovisual e dos Fonogramas de 2018, previsto para julho, no valor cerca de 6,5 milhões de euros, tendo em conta as "circunstâncias excecionais" vividas atualmente.

Num comunicado hoje divulgado, a Fundação GDA recorda que "a distribuição de direitos do Audiovisual relativa ao ano de 2018 estava prevista para julho próximo, tal como a dos Fonogramas, também do ano de direitos de 2018", salientando que "está empenhada em acelerar todo o seu processo de distribuição para, sem perda de rigor, entregar o dinheiro que é devido aos artistas pela utilização das suas obras cerca de dois meses antes do previsto".

Em declarações à Lusa, o vice-presidente daquela organização, Luís Sampaio, adiantou que, "no total", a GDA irá "colocar na rua 6,5 milhões de euros, aproximadamente", valor que "compreende os direitos dos artistas internacionais".

"Vamos atingir cerca de 30 mil pessoas com esta distribuição, sendo que nacionais são cerca de seis mil, três mil na música e três mil no audiovisual", explicou Luís Sampaio, salientando tratar-se de "números sempre aproximados, porque a distribuição ainda não está feita".

A decisão foi tomada "atendendo às circunstâncias excecionais, extraordinárias" que se vive atualmente no país, devido à pandemia da covid-19, mas especialmente no setor cultural.

"A nossa classe foi muito atingida, as pessoas estão muito aflitas, porque não têm dinheiro no bolso e ficaram privadas dos seus rendimentos, e nós estamos a fazer o que podemos. Uma das coisas que podemos fazer é antecipar a distribuição", referiu Luís Sampaio.

Esta antecipação da distribuição é possível também devido ao "investimento grande" que a GDA fez "nos sistemas de distribuição nos últimos anos, com tecnologia e os meios humanos que permitem trabalhar a partir de casa, e com uma série de procedimentos e automatizações boas".

"Estamos a trabalhar para as ter na rua agora a breve trecho, eu diria que somos capazes de as conseguir antecipar dois meses. Não quero estar aqui com um compromisso de data, mas o nosso objetivo é conseguirmos tê-las na rua em maio", referiu.

Além disso, a GDA irá também antecipar as campanhas MODE'18 e MODE'19, através das quais apoia as primeiras edições comerciais de obras discográficas de 2018 e 2019, respetivamente, em Portugal.

Estes dois programas abrangem "cerca de 1.700 músicos" e, nesse âmbito, a GDA irá "colocar na rua 400 mil euros".

"É um desafio grande para nós por causa dos pagamentos, vamos pedir a compreensão especial das pessoas para entenderem que neste pagamento os processamentos são mais difíceis a partir de casa, mas vamos fazê-los, porque achamos que é fundamental colocar liquidez, dar dinheiro aos artistas que estão a passar estas dificuldades e que viram os seus rendimentos cortados tão abruptamente, tão decisivamente", disse Luís Sampaio.

Estes pagamentos deverão ser feitos no início de abril.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG