Palco

Há constelações de partilha no circo de "Dual SIM"

Há constelações de partilha no circo de "Dual SIM"

Erva Daninha estreou hoje nova produção no âmbito da celebração dos 90 anos do Rivoli.

"Juega conmigo", implora incessantemente Felipe Contreras a Jorge Lix no espetáculo de circo contemporâneo "Dual SIM" que se estreou hoje no Palácio do Bolhão, no Porto, no âmbito da programação dos 90 anos do Teatro Rivoli que toma a cidade de assalto até domingo. As récitas são gratuitas.

A partilha destes dois malabaristas torna-se um jogo estético em que o público assiste à diluição dos corpos e dos objetos até se fundirem num só, como num abraço.

A tensão constante - elemento chave do circo - fica aqui atenuada pelo desenho de luz, muito bem conseguido, em que a energia dos dois artistas vai alimentando o cenário com diferentes cores, tantas quantas as sensações. Não há um rufar de tambores a agudizar as emoções. Há, sim, um fluxo de informação em contínuo que vai sustendo as ações dos artistas, afetando a velocidade e toda a cenografia.

A dualidade dos números jogados - ora a meia luz, com o público a percecionar toda a dinâmica física da execução, ora às escuras, apenas com os objetos iluminados - cria um interessante contraste e momentos mágicos para a assistência, com um desfile ininterrupto de constelações.

Se nos momentos a solo têm impressionantes mostras de equilíbrio, isometria e flexibilidade, é no controlo dos momentos de partilha em que os objetos (malabares, arcos e bolas) voam numa cuidada coreografia que se encerra a beleza e a magia deste "Dual SIM", da companhia Erva Daninha.

O coletivo criado em 2006 usa um método teatral, pondo a dramaturgia ao serviço do circo contemporâneo. "Dual SIM" é uma alegoria dos tempos que vivemos, em que o afeto, a partilha e a forma como lidamos com toda a informação que nos chega (e que, por sua vez, transmitimos) pode fazer de cada um de nós um excelente malabarista, contaminando os cenários que nos rodeiam.

PUB

Uma suspensão temporária da realidade, numa época em que todos estamos necessitados de um pouco de magia. O espetáculo tem récitas para o público em geral sábado e domingo às 16.30 horas.


Dual SIM
Palácio do Bolhão, Porto
Até domingo 23

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG