Concertos

"Há música na cidade" espalha magia pelo centro histórico de Leiria

"Há música na cidade" espalha magia pelo centro histórico de Leiria

1200 artistas, 100 concertos e 26 palcos são os ingredientes que irão garantir uma tarde recheada de música, nas ruas, em varandas, em terraços e em guindastes.

O centro histórico de Leiria vai ser tomado de assalto, este sábado, por 1200 artistas, de diferentes géneros musicais, que darão mais de 100 concertos gratuitos, até à meia-noite, em 26 palcos instalados em diversas artérias, em terraços de edifícios ou até pendurados num guindaste. Quatro anos depois, o Jornal de Leiria retoma a organização do "Há música na cidade", evento em que as pessoas têm a oportunidade de assistir a concertos de músicos da região ou com ligações à região.

"Juntamos 1200 músicos, profissionais e amadores, com diferentes estéticas musicais, que dão concertos em sítios pouco prováveis, como varandas", exemplifica o diretor do Jornal de Leiria, João Nazário. Do cartaz, destaca a Orquestra Filarmonia das Beiras (Fonte Luminosa, 19 horas), a Orquestra de Jazz de Leiria (Praça Rodrigues Lobo, 21.30 horas) e o concerto de encerramento com a atuação conjunta dos First Breath After Coma e dos Whales (Largo da Sé, 23 horas).

A Banda da Catraia (Praça Rodrigues Lobo, 18 horas), Lince (varanda do nº 26 da Rua João de Deus, 17 horas) e Surma (no mesmo local, uma hora depois) são outros espetáculos recomendados. Pela primeira vez, o "Há música na cidade" contará ainda com as atuações de dois artistas estrangeiros: o holandês Josef Von Wissem (Igreja da Misericórdia, 18 horas) e os franceses Trompets of Consciousness (Palco Atlas, 18 horas). Um dos momentos altos será, certamente, a performance do violinista Nuno Santos, pendurado num guindaste na Praça Rodrigues Lobo, às 22.30 horas.

"As pessoas vão poder assistir a espetáculos que, de outra forma, não iriam assistir, como fado ou hip hop", assegura João Nazário. A programação inclui outras manifestações tão distintas como música clássica, rock, pop, eletrónica, jazz, ou a atuação de filarmónicas e de grupos corais. Sem público-alvo definido, qualquer pessoa pode assistir aos concertos que entender. A começar pelos bebés, que poderão assistir ao Berço das Artes (Livraria Arquivo, 15h e 15.30 horas), da SAMP - Sociedade Artística e Musical dos Pousos.

O evento arranca às 14.30 horas, com uma arruada pelo centro histórico, protagonizada pela Marching Band, Farratuga e Sociedade Filarmónica Catarinense. "A intenção é dar um mote festivo ao evento", explica o programador do evento. Os Tocándar, Gaitilena e a Escola de Concertinas e Acordeão Carlos Barbosa darão continuidade às arruadas às 20 horas, para não haver tempos mortos à hora do jantar. Ao longo de quase dez horas, Leiria será o palco da música.

A primeira edição do "Há música na cidade" foi promovida em 2009, para assinalar os 25 anos do Jornal de Leiria. "Na altura, teve uma dimensão pequena. O objetivo era trazer os alunos da SAMP e do Orfeão de Leiria para a rua, para as pessoas verem o que estavam a fazer", explica João Nazário. O sucesso foi tal que se realizou ao longo de mais cinco edições. Com a crise, deixaram de existir condições para dar continuidade ao evento, que é retomado hoje, em coorganização com a autarquia.