Cultura

BB King deixou o nome gravado em Sabrosa

BB King deixou o nome gravado em Sabrosa

Expectativas mais do que superadas. BB King arrasou Sabrosa. Em concerto e em assistência. "Cerca de 20 mil pessoas", nas contas por alto da Rota do Vinho do Porto, que organizou o evento.

O rei dos blues ainda emprestou o seu nome ao recinto onde actuou, que desde ontem se chama "BB King Parque". Se um dia voltar, entrará com a chave do concelho que a Câmara lhe ofereceu. Da Rota levou uma boca doce com um Vinho do Porto produzido no seu ano de nascença, 1925. A estrela agradeceu e voltando-se para os milhares à sua frente: "Thank you for coming". Sentou-se. E deu show.

O relvado da Quinta das Almeidas, na zona das piscinas cobertas, começou a compor-se cedo. Cerca das 16 horas já havia centenas de pessoas espraiadas na relva, defronte do palco. Aqui namorava-se, ali dormia-se, mais além conversava-se e ainda mais além afogava-se a sede nas tasquinhas que a organização montou para a promoção dos produtos locais e dos vinhos da região.

Por volta das 18.30, as ruas que ligam ao parque do concerto pareciam acesso a estádio de futebol em dia de clássico. Provavelmente, nunca a pacata vila de Sabrosa terá visto tanta gente junta e de uma heterogeneidade totalmente improvável. Às 22.30, com o concerto a decorrer, continuavam a chegar às centenas.

Entre as que chegaram cedo contavam-se Luís Costa, Francisco Gomes, Miguel Maia e Flávio Moura, com 16 e 17 de idade. Vivem todos na zona do Porto. Compraram uma bola por um euro e foi com ela que se entretiveram na relva a dar uns toques. Sempre à espera que a noite caísse para se cumprir uma "oportunidade única e de graça". Apesar das tenras idades, vêem BB King como "uma lenda viva". Porque vivem "num mundo em que a música tem cada vez menos originalidade" e, apesar dos 84 anos, "BB King é um rei, um mestre".

A refrescar-se da noite mal dormida, Carina Castro e Cláudia Rabaçal, naturais de Carrazeda de Ansiães, encostaram-se à barraca dos finos. Óculos enormes para esconder qualquer olheira, justificada pela enorme viagem. "Fizemos voo directo entre Portimão e o Porto, e viemos de carro para Sabrosa", justificou Carina. "BB King é um rei. É inédito em Trás-os-Montes e ainda por cima grátis!" Cláudia aduziu que "é bonito ver uma pessoa com 84 anos continuar a dar concertos". Mas mais contente ficou quando viu chegar a multidão. "É uma grande iniciativa para promover o nosso Douro Património Mundial". Manuel Neves viajou de Vizela propositadamente. "Nem que fosse a pagar vinha igual". Não é estreante em concertos do guitarrista americano mas de Sabrosa levou, além do concerto, "os bons vinhos brancos e tintos. Muito bons". Tal como ele, também José Carlos Rodrigues, viajou de propósito de Oliveira de Azeméis, para "matar saudades". "Sou apaixonado pela música de BB King. Este homem é espectacular!" O mesmo pensa Geraldo Lopes, que vive em Guimarães. Ele e mais dois amigos não quiseram perder um concerto de "um homem cujo percurso fala por si".

O primeiro concerto da noite pertenceu à banda lisboeta de blues, os The Ramblers e o fecho coube aos Spinning, de Vila Real. Antes de BB King, espaço para uma procissão religiosa, que é tradição na terra e que se destaca por percorrer ruas totalmente atapetadas a flores. Nunca antes terá tido tanta assistência.

Os The Ramblers são cinco rapazes e uma rapariga com média de idades a rondar os 20 anos. Não admirou o "nervoso miudinho" destes jovens, com a responsabilidade de fazer a primeira parte do concerto de BB King. "Uma das nossas grandes influências. O nosso ídolo", sublinhou o baixista Luís Nunes. A tal ponto veneram o guitarrista americano que se ofereceram à organização para tocar de borla. A Câmara apenas lhes garantiu algumas recompensas mas não há cachet...

ver mais vídeos