Final

Coura fecha com olhos em 2017

Coura fecha com olhos em 2017

Festival terminou este sábado de madrugada com sabor a desapontamento. A pop sintetizada dos Chvrches não convenceu toda a gente.

O último ano do festival Vodafone Paredes de Coura antes do festejo dos 25 anos teve menos público e menos entusiasmo do que edições anteriores. O espetáculo de Chvrches, trio escocês de synthpop que há dois anos atuou um horário abaixo do cabeça de cartaz desse dia em Coura, Franz Ferdinand, fechou agora a 24.ª edição. Pelo género, pelo tom, pela falta de envolvimento cénico e sobretudo sonoro para a metade da encosta de cima, apesar da simpatia e do esforço da vocalista de 28 anos Lauren Mayberry, não funcionou e não esteve à altura da última memória do festival.

Comparativamente com a superabundância vivida o ano passado na noite de Tame Impala, quem esteve este ano na encosta e viu o recinto de várias perspectivas durante o concerto de encerramento, não nega a percepção de cerca de menos 1/4 de espectadores este ano. No cimo da encosta eram visíveis as clareiras das pessoas em falta na relva - mas a organização e o patrocinador ainda não revelaram números oficiais.

2017 é a data das bodas de prata de Coura e agora que fechou a 24.ª edição, o que aí pode vir ganha redobradas expectativas. O patrocinador Vodafone adiantou na conferência de imprensa final que "haverá um ajustamento a essa realidade" mas nada detalhou, assim como a direção do certame, sobre a próxima edição, que decorre de 16 a 19 de Agosto de 2017.