Sugestões

Dar tempo ao vinho

Um tinto e um branco de estilo capazes de mostrar que vale a pena esperar

Falar sobre "dar tempo ao vinho" é, à partida, querer gerar discórdia. A sociedade vinícola, em geral, anda stressada e a correr, vive para a "novidade", para ter os vinhos prontos e na rua o mais rapidamente possível. Com isto, fica o Portugal vinícola massificado - na fruta primária, elegância e acidez. Claro que este "triângulo" é importante, mas caminha-se para o evidente e fugaz....

Culturalmente, pode-se evoluir na fileira, conseguindo "dar tempo ao vinho" e arquitetar, na vinha e vindima, os ingredientes e etapas para que os vinhos cresçam. Seja no estágio antes de engarrafar, seja já na garrafa. O que ajudará a ser-se maior é conseguir mostrar o que o tempo traz ao vinho. Uma paleta terciária complexa e fresca no aroma e uma elegância tensa e vibrante pela secura e frescura dos taninos na boca.... Esta é a minha opinião (que vale o que vale)!

Com a devida "declaração de interesses", os vinhos que escolhi são dois vinhos de estilo, que adoro, arquitetados por uma enóloga que muito respeito e muito adoro também.

A Joana Roque do Vale tem uma cultura de região/vinho enorme, mas, acima de tudo, tem o devido respeito pelo "dar tempo ao vinho". Tem vinhos com uma "patine" imensa, que nos envolvem, profundos e ricos na intensidade de ataque e persistência final.

Roquevale - Branco de curtimenta | 2015 | PVP: 7,5€

O Roquevale Branco é o primeiro branco de curtimenta (não talha) alentejano. É um vinho que namorou muito com o oxigénio antes de ir para a garrafa. Apresenta-se riquíssimo de nariz, com notas de mel, casca de laranja e marzia iodada. Na boca é amplo de sabor, rico na secura que eleva a frescura de final de boca. É um vinho de grande espectro gastronómico.

Roquevale - Tinto Grande Reserva | 2010 | PVP: 25€

O Roquevale Tinto é um vinho muito profundo na intensidade e riqueza aromática, onde dominam as folhas de tabaco, caruma, fruta seca, fumados. Na boca temos um vinho sedoso, mas tenso, fresco e complexo, que termina seco e persistente.

Todas as semanas, ao domingo, a edição impressa do JN traz sugestões de vinhos.

Imobusiness