Porto, Gaia e Matosinhos

Festival Dias da Dança: 35 espetáculos em 17 dias

Festival Dias da Dança: 35 espetáculos em 17 dias

Porto, Gaia e Matosinhos recebem certame dedicado à dança contemporânea.

"São precisos dois para dançar o tango, neste caso são precisos três municípios para fazer dançar". A alegoria foi utilizada por Eduardo Pinheiro, presidente da Câmara de Matosinhos na apresentação da segunda edição do Festival Dias da Dança (DDD) ontem, no Teatro Municipal Rivoli.

O certame pensado por Tiago Guedes, diretor do Teatro Municipal do Porto (TMP) envolve as três cidades da frente atlântica: Porto, Gaia e Matosinhos que, entre 27 de abril e 13 de maio, irão receber 57 apresentações de dança.

"A programação internacional é forte", disse Tiago Guedes, com quatro espetáculos franceses, de Maguy Marin ("BiT"), Yoan Bourgeois ("Celui qui tombe"), Rachid Ouramdane ("Tordre") e Noé Soulier ("Faits et gestes"), além de oito estreias de artistas nacionais, com destaque para "Muros", da coreógrafa Né Barros, que vai abordar a temática das migrações explorando o corpo e as identidades muitas vezes fixadas na noção de raça e de marca territorial. A peça marcará o arranque do DDD, no dia 27, no Teatro São João, um dos 11 espaços à disposição do certame.

Outros destaques: "A perna esquerda de Tchaikovsky", pela Companhia Nacional de Bailado com coreografia de Tiago Rodrigues; "Night schlafen", por Alain Platel; e "Harmida", da Companhia de Dança Kale.

"O orçamento global do DDD é de 434 mil euros, sendo que a participação da Câmara do Porto é de 190 mil euros, mais 40 mil euros do que no ano passado", revelou o autarca do Porto, Rui Moreira, acrescentando que o DDD fez uma candidatura conjunta ao programa Norte 2020, em novembro, mas ainda não se sabe os resultados.

Programadores à pesca

"Já estão confirmados 20 programadores internacionais que estarão presentes no festival para assistir aos vários espetáculos de artistas portugueses, com o intuito de poder programá-los no estrangeiro", explicou Tiago Guedes, diretor do TMP. As inscrições para receber mais programadores ainda estão abertas.

Além dos espetáculos, Tiago Guedes destacou a importância da componente formativa do DDD. "Uma resposta às crescentes escolas de dança", como explicou Delfim Sousa, vereador da Cultura de Gaia.

No Armazém 22 decorrerá o concurso de curtas-metragens de dança, aberto a artistas e estruturas que apresentem trabalhos em formato curto, no máximo de 10 minutos. Para produzir conhecimento sobre o certame, decorre ainda o projeto "Freaks da dança", de Magda Rodrigues, no qual um grupo de pessoas assistirá aos 35 espetáculos do festival e no fim produzirá um registo analítico.

Na próxima quarta-feira, o DDD será apresentado ao público nas linhas de metro do Porto, Gaia e de Matosinhos. Em Matosinhos, dez projetos farão pequenos showcases no mercado, onde os restaurantes e cafés locais se associarão, a partir das 19.15 horas.

Além dos bilhetes individuais, há duas modalidades de passes DDD: um de sete espetáculos por 30 euros e um outro com cinco espetáculos à escolha por 20 euros. "Para que ninguém possa dizer que não vem ver os espetáculos porque são muito caros", gracejou Tiago Guedes.