O Jogo ao Vivo

Artes/Etc

Doze finalistas no Prémio Literário Casino da Póvoa

Doze finalistas no Prémio Literário Casino da Póvoa

Doze autores, entre os quais Luís Quintais, Adília Lopes e Daniel Jonas, são finalistas do Prémio Literário Casino da Póvoa, atribuído no âmbito do encontro literário Correntes d'Escritas, na Póvoa de Varzim.

Este ano, o prémio é dedicado à poesia e a ele candidataram-se 45 obras, tendo o júri selecionado 12 finalistas, entre os quais autores que já tinham sido nomeados em edições anteriores, como Luís Quintais, Golgona Anghel, José Tolentino Mendonça e João Rios.

As obras finalistas são: "A Noite Imóvel" (Luís Quintais), "Bandolim" (Adília Lopes), "De Passagem" (José Alberto Oliveira), "Existência" (Gastão Cruz), "Nadar na piscina dos pequenos" (Golgona Anghel), "Não É Grave Ser Português" (João Rios), "Oblívio" (Daniel Jonas), "Rua antes do Céu" (José Luís Tavares), "Suite sem Vista" (Inês Fonseca Santos), "Tardio" (Rosa Oliveira), "Teoria da Fronteira" (José Tolentino Mendonça) e "Tratado" (Luís Carmelo).

Gastão Cruz venceu este prémio literário em 2009 com a obra "A moeda do tempo".

Das 12 obras finalistas a este prémio - que tem habitualmente o valor monetário de 20.000 euros -, sete foram publicadas pela Assírio & Alvim, quatro pela Abysmo e uma com selo da Tinta da China.

O júri deste ano integra Almeida Faria, Ana Paula Tavares, José António Gomes, Maria Quintans e Marta Bernardes. A obra vencedora será anunciada no dia 19 de fevereiro.

A vigésima edição do Correntes d'Escritas - Encontro de Escritores de Expressão Ibérica decorrerá de 16 a 27 de fevereiro no Cine-Teatro Garrett, na Póvoa de Varzim.

Apresentado como a maior edição de sempre, o encontro contará com a presença de mais de 140 convidados, de vinte países, entre os quais um prémio Cervantes, o nicaraguense Sergio Ramírez, prestes a lançar "Já ninguém chora por mim" em Portugal, três prémios Camões (Arménio Vieira, Germano Almeida e Hélia Correia) e cinco prémios literários Casino da Póvoa (Lídia Jorge, Ana Luísa Amaral, Manuel Jorge Marmelo, Juan Gabriel Vásquez, além de Hélia Correia).

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai dirigir a cerimónia de abertura no dia 19, enquanto o Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, vai proferir a conferência inaugural, sobre "As letras da língua e a mobilidade dos criadores na CPLP".