Cinema

Poética de conflito curdo-turco vence Porto/Post/Doc

Poética de conflito curdo-turco vence Porto/Post/Doc

O documentário "Meteors", que apresenta de forma sublime o conflito curdo-turco, venceu o Grande Prémio Porto/Post/Doc. O palmarés da quarta edição do festival, que termina domingo, foi conhecido este sábado à noite, no Teatro Rivoli.

"Primeiro, de fora vinham os sons de efervescência e celebração, depois, de caos e cacofonia. O que ouço agora é guerra". A partir daí se desenrola o conflito curdo-turco, nas palavras e imagens de "Meteors", documentário de Gürcan Keltek (Holanda/Turquia), que levou o principal galardão do festival internacional de cinema documental e híbrido do Porto.

"Meteors" é um relato contemplativo e poético, a preto e branco, do conflito armado não televisionado, interrompido por uma insólita chuva de meteoros, confundida com bombardeamentos. No filme, a narradora empresta as suas sensações e emoções e os habitantes locais fotografias e vídeos, para se mostrar como as guerras transformam paisagens, mas também sentimentos. Uma justa vitória, apesar da forte concorrência na Competição Internacional, reveladora da vitalidade do festival, que parte para a quinta edição com a certeza de ter, pela primeira vez, financiamento do Instituto do Cinema e do Audiovisual para os próximos anos. A obra já tinha vencido o festival de Milão.

O ousado "Dragonfly Eyes", de Xu Bing (China/EUA), foi distinguido com uma menção honrosa. O filme cria uma narrativa ficcional, a partir de uma seleção de imagens de videovigilância entre milhares de gravações.

O Prémio Biberstein Gusmão, para autores emergentes, foi para Ziad Kalthoum por "Taste Of Cement" (Alemanha, Líbano, EAU, Qatar). Trama brilhante, o documentário parte da história dos emigrantes sírios que constroem cidades no pós-guerra (Beirute), para de forma até poética nos confrontar, sem espaço para escape, com o que se passa na Síria. O filme já tinha ganho o Grande Prémio do festival suíço Visions du Réel.

O júri da Competição Internacional era composto pelos cineastas Ivo M. Ferreira e Lois Patiño, por Raquel Castro, Nuria Cubas e Hilke Doering, as três responsáveis por outros festivais, e ainda pelo designer e crítico Mário Moura.

O Melhor Filme da competição Cinema Novo foi "Proxima", de Igor Dimitri e Gabriel Mar (Argentina), secção na qual "De Madrugada", de Inês de Lima Torres (Portugal), levou uma menção honrosa.

O Porto/Post/Doc termina, no domingo, com a estreia de "Lucky" (21.30 horas, no Rivoli), de John Carroll Lynch, último filme do lendário ator norte-americano Harry Dean Stanton, baseado em si.