Cinema

"Roma" e "A Favorita" grandes vencedores dos prémios Bafta

"Roma" e "A Favorita" grandes vencedores dos prémios Bafta

Academia britânica de cinema deu onze galardões aos dois filmes

O filme "A favorita", do grego Yorgos Lanthimos, foi o que arrecadou maior número de prémios, sete, na 72.a edição dos prémios Bafta, mas foi "Roma", produção para a Netflix que também tomou conta da temporada de prémios, que venceu nas categorias principais.

O filme de Alfonso Cuáron, além de Melhor Filme e Melhor Realização, venceu ainda nas categorias de Melhor Filme de Língua não inglesa e Melhor Fotografia. O sucesso de "Roma"(entre outros, ganhou dois Globos de Ouro), nas palavras do realizador mexicano, tem um significado especial, "num tempo em que o medo e a raiva querem dividir-nos", disse, num dos discursos ao receber um dos galardão da academia britânica de cinema, anteontem.

"Roma", uma belíssima história sobre uma trabalhadora doméstica indígena numa casa de uma família em crise, no México dos anos 70, tem dez nomeações para os Oscars, exatamente as mesmas do que "A favorita", filme de época na Inglaterra do séc. XVIII, dirigido pelo quase sempre excelente e independente Yorgos Lanthimos, que de resto deve estar confundido com os elogios e reconhecimento vindos das zonas mais tradicionais do circuito cinematográfico.

As três atrizes que escolheu, ou as suas performances - em que a qualidade de "A favorita" está totalmente ancorada-, são a grande razão para o apreço demonstrado pelo filme.
Olivia Colman (repetindo o Globo de Ouro) foi distinguida como Melhor Atriz e Rachel Weisz recebeu o prémio de Melhor Atriz Secundária, categoria em que Emma Stone estava também nomeada. O filme venceu também Melhor Argumento Original ou Melhor Filme Britânico.

O prémio de Melhor Ator foi para Rami Malek, que já tinha ganho o Globo de Ouro, com a sua performance como vocalista dos Queen, Freddie Mercury, em "Bohemian rhapsody". Mahershala Ali foi considerado o Melhor Ator Secundário, pelo papel em "Green book".

Bradley Cooper, que protagonizou e realizou "Assim nasce uma estrela", também subiu ao palco, para recolher o prémio de Melhor Banda Sonora, para a música "Shallow", que interpreta com Lady Gaga.

"Free solo", cuja sonoplastia inclui a assinatura de dois portugueses, foi o Melhor Documentário, categoria para a qual também está nomeado nos prémios da academia de Hollywood, que serão entregues a 24 de fevereiro.

*com agências