Internet

Há cada vez mais youtubers a ganhar dinheiro em Portugal

Há cada vez mais youtubers a ganhar dinheiro em Portugal

O vídeo "Pedi a minha namorada em casamento", com uma imagem do youtuber Wuant ajoelhado em frente à também youtuber Owhana, fez disparar os corações dos mais novos e os contadores do Youtube: mais de um milhão de visualizações.

Wuant é um dos membros da "Casa dos youtubers", o fenómeno que faz sonhar miúdos por todo o país, desejosos de, tal como eles, poderem viver apenas dos vídeos que partilham. As marcas estão cada vez mais atentas ao sucesso que fazem, aumentando-lhes os rendimentos vindos do canal. Se há meia dúzia de anos quase não havia mercado, hoje a realidade mudou: há cada vez mais youtubers a fazer dinheiro e a viver exclusivamente disso. A pergunta de um milhão de euros é: quanto ganham? Lá fora, há quem tenha receitas milionárias. Cá, tudo indica que os números serão mais modestos. Sites como o Social Blade entusiasmam os miúdos com valores que podem oscilar entre os sete e os 100 mil euros por mês, mas os especialistas garantem que os números não são fidedignos, dadas as variáveis implicadas nestes cálculos.

Milhões que atraem as marcas

São os milhões de visualizações, gostos e subscritores que entusiasmam as marcas, ansiosas por ter impacto junto da "geração Z", ou seja, a geração que não conhece o mundo sem Internet ou smartphone. Aliado aos números impressionantes, está o conhecimento que estes youtubers têm da forma como pensa esta geração. As marcas querem cada vez mais trabalhar com eles, eles conseguem cada vez mais receitas online e offline.

No vídeo do pedido de casamento, Wuant, de 21 anos, apenas ofereceu uns ténis à namorada. Este marketing de conteúdos é uma das estratégias mais utilizadas pelas marcas: o youtuber cria e partilha o vídeo no seu canal, que vai ser visto por um público fiel que não perde pitada.

"O trabalho sofre um bocado, tendo em conta o que as marcas querem, mas esforço-me ao máximo para que o conteúdo seja o mais genuíno possível", explica Wuant. E essa é parte da receita de sucesso para as marcas. "A forma como eles expõem o produto e a experiência, quanto mais sentida é, mais resultados terá", explica Joana Carravilla, da E.life, empresa especializada no relacionamento com os consumidores nas redes sociais.

Campanha surpreende marca

A maior campanha que os "youtubers da casa" fizeram até agora foi para a Olá e foi um sucesso que surpreendeu a própria marca, que contratou D4rkFrame, SirKazzio, Wuant e o toque feminino de Olivia Ortiz. "Relacionar-nos com esta nova geração é trazê-los de início para o processo", explica Pedro Gonçalves, diretor de marketing da Olá. A hastag #dizola fez furor por todo o país, online e nas ruas, e saiu da cabeça destes novos criativos.

Três perguntas à psicóloga Ivone Patrão:

Muitas crianças ambicionam, hoje, ser youtubers. Como é que os pais devem gerir esta expectativa?

É bom que as crianças tenham interesses e os pais devem estimulá-las quanto baste. Mas têm de estar atentos e avaliar se eles têm jeito, qual o nível de exposição e falar sobre isso com eles, para que não se exponham ao ridículo. Ser "famoso" exige muita dedicação. A minha preocupação, aqui, é se eles não estão a retirar tempo da sua socialização.

Já há pais que partilham esta preocupação?

Chegam-me à consulta dois tipos de pais: os que ainda não perceberam que os filhos estão a publicar vídeos online e que só se apercebem quando eles se tornam conhecidos (estamos a falar de crianças a partir de 12 anos, normalmente); e os pais que até acham piada, acompanham e tentam gerir a situação. A comunicação sobre o assunto é fundamental. Uma conversa aberta, uma negociação também é uma forma de supervisão.

Este novo formato de entretenimento tem maior poder de influência?

Este formato online é muito mais dinâmico, interativo e há reciprocidade na influência - o youtuber influencia o seguidor e vice-versa. A proximidade faz com que os youtubers tenham uma influência social muito mais rápida e direta. Os pais de ambos têm de estar atentos. Agora já não basta saber quem são os amigos dos filhos, mas quem são os amigos online e o que eles veem.

ver mais vídeos