Guimarães 2012

João Serra diz que há "muito trabalho a fazer" em Guimarães 2012

João Serra diz que há "muito trabalho a fazer" em Guimarães 2012

O novo conselho de administração da Fundação Cidade de Guimarães terá "mais" delegação de competências e "mais proximidade" com a cidade, garantiu esta quinta-feira o presidente da instituição, João Serra, que assumiu haver "muito trabalho a fazer".

Em entrevista à Agência Lusa, João Serra apresentou a nova administração da Fundação Cidade de Guimarães, composto por Rosa Amora e Paulo Cruz como membros executivos e Fortunato Frederico e Francisca Abreu, que transita do anterior, como não executivos.

"São personalidades com qualidades de gestão e habituadas a tomar decisões. Além disso, cada uma delas traz experiências que vão pôr ao serviço da Capital Europeia da Cultura", explicou.

João Serra anunciou que irá "delegar competências" no sentido de "aproximar a Fundação à cidade", respondendo desta forma à crítica de "alienação da comunidade" no processo da Capital Europeia da Cultura (CEC) Guimarães 2012.

O presidente da Fundação Cidade de Guimarães garantiu ter uma "ideia muito clara" sobre a forma como quer que o novo conselho de administração funcione.

"Gostaria que todos os membros tivessem competências diretas e não que fossem apenas figuras que se limitam a dar opiniões", adiantou.

Assim, "logo na primeira reunião", um dos pontos da agenda será "dotar de responsabilidades cada um dos membros, executivos e não executivos", nomeadamente na "ligação com a cidade, responsabilidade pública e com Bruxelas, mais do que distribuir superintendência de serviços internos".

Confrontado com a proposta do grupo parlamentar do PSD para que seja criada uma comissão de acompanhamento da CEC Guimarães 2012, João Serra disse não se sentir "pressionado", "nem com qualquer tipo de stress por causa disso".

João Serra afirmou encarar esta possível comissão como um "contributo para o trabalho a desenvolver" e uma "forma de acompanhamento pela positiva, que representa disponibilidade".

Quanto ao salário dos membros da administração da Fundação Cidade de Guimarães, considerados "abusivos", o presidente da instituição deu conta que, "no passado como hoje", não se pronuncia sobre "isso".

Mas, "uma revisão da componente despesa com salários no conjunto dos gastos" é uma questão para a qual João Serra se declarou "perfeitamente disponível" para ver com o conselho geral da fundação "de que forma se pode reduzir esse peso".

Segundo João Serra, "ainda há muito trabalho a fazer" e a "única coisa" que pode garantir é que "não haverão férias".

No entanto, o responsável pela componente imaterial da CEC afirmou-se "certo" que este novo conselho de administração "irá colmatar as falhas do anterior", nomeadamente a "ligação com o tecido empresarial da região e do país".