Música

Marés Vivas quer mais de 40 mil festivaleiros por dia

Marés Vivas quer mais de 40 mil festivaleiros por dia

A marca já está definida. A organização do Meo Marés Vivas quer superar, este ano, as 40 mil pessoas por dia, o que, com as mudanças no recinto, poderá mesmo ser possível.

O palco principal mudou-se para o outro extremo do recinto para enganar o vento. O festival de Vila Nova de Gaia, que acontece nos próximos dias 19, 20 e 21, já está acima das vendas do ano passado.

"Em 2018, mudámo-nos para este local, acima do recinto anterior, e agora decidimos mudar o palco de sítio para ficarmos mais protegidos do vento, que foi a única coisa que nos feriu no ano passado", explica Jorge Lopes, responsável pelo festival.

A reorganização vai permitir concertos em simultâneo para criar diversidade, daí que o cartaz conte 50 artistas. A zona de alimentação será ampliada para evitar filas de espera prolongadas e o Palco Comédia volta aos moldes da primeira edição do Marés: num coreto. "Sugestão dos próprios artistas, que queriam mais contacto com o público. Assim, ao invés de uma lotação de 3 mil pessoas, será de 10 mil".

Este ano, o Marés recebe a única reunião de Ornatos Violeta a norte do país e conta com o regresso dos britânicos Keane, que deixaram em 2009 o registo de um dos concertos míticos do festival. A fechar, a oportunidade para rever Sting, que esteve em Gaia em 2017. "O cartaz é interessante todos os dias e há muita mais gente, de diferentes idades, a vir aos três. É o ADN do Marés Vivas, esta mistura de gerações".