Festival

O regresso feliz e aditivado dos Unknown Mortal Orchestra

O regresso feliz e aditivado dos Unknown Mortal Orchestra

Nos últimos anos, o low-fi dos Unknown Mortal Orchestra sofreu um impressionante upgrade. Desde a última vez que estiveram em Coura, em 2013, ganharam mais ritmo, mais bombo e mais energia.

Tanto que Ruban Nielsen até fez algum crowd surfing. E o melhor de tudo é que a nova dinâmica da banda foi conseguida sem perder a aura nostálgica que os catapultou para a fama.

Três anos depois, "So good at being in trouble", tal como "Swim and Slepp (lie a shark)" continuam a soar bem. Por sua vez, a mais recente "Multi-Love" conseguiu obter uma das maiores ovações e coros da noite. E "Can't Keep Checking My Phone" terminou o concerto com um refrescante e apelativo groove.

Talvez fossem evitáveis algumas divagações instrumentais demasiado redundantes, mas isso não pareceu afetar a performance global que até permitiu a Nielsen pousar a guitarra, ir cantar para as grades e, depois, deixar-se ir nos braços da multidão. Um regresso feliz e que fez todo o sentido graças às bem-vindas e vigorosas adições

Imobusiness