Dança

Estreia esta sexta feira "Uníssono" a nova criação de Victor Hugo Pontes

Estreia esta sexta feira "Uníssono" a nova criação de Victor Hugo Pontes

O coreógrafo Victor Hugo Pontes estreia, esta sexta-feira, no teatro municipal S. Luiz, "Uníssono", poucos meses depois de estrear "Carnaval" para a Companhia Nacional de Bailado.

O novo espetáculo estará em cena até domingo e na próxima semana subirá ao palco do teatro municipal Rivoli, sexta e sábado.

Victor Hugo Pontes, nascido em 1978, está num momento alto da carreira. Da sua geração, será um dos que teve mais produções em cena, próprias ou como convidado, nos teatros nacionais e municipais, em 2016.

Numa tentativa de se afastar da narrativa e da dramaturgia, - por trabalhar maioritariamente em teatro -, Victor Hugo Pontes escolheu um termo musical para fazer um espetáculo onde trabalha exclusivamente o movimento.

A contaminação tornou-se inevitável com o decorrer dos Jogos Olímpicos, especialmente com os exercícios de natação sincronizada. "mesmo em slow motion, decorre tudo exatamente à mesma velocidade". Mas, como explica sem se escusar, "este trabalho são quatro anos para um minuto, enquanto o seu são dois meses para uma hora".

Nessa ambiguidade reside o trabalho por si proposto, onde há uma partitura que cinco bailarinos ("número possível, a escala poderia ser muito maior"), dentro ou fora de palco estão constantemente a executar.

Para o público a proposta visível é de duetos ou solos e por vezes todo o grupo. Apesar de alguns bailarinos serem fisicamente semelhantes, nem todos têm a mesma fisicalidade, desengane-se quem pensa ver um exercício técnico de mecanização. Não há alusões às coreografias de Rudolf von Laban nos Jogos Olímpicos nem paradas militares.

Há individualidade nesta proposta, uma certeza de que é impossível automatizar a humanidade. Mesmo quando todos tem o mesmo tempo - ditado pela música de Hélder Gonçalves - espaço e velocidade.

Conteúdo Patrocinado