Sugestões

Vinhos: Quando a acidez traduz o equilíbrio

Vinhos: Quando a acidez traduz o equilíbrio

Dois vinhos da Região do Alto Douro de dois jovens produtores a conhecer

No mundo do vinho nunca se falou tanto de vinhos com acidez natural. Esta acidez traduz-se em vinhos mais equilibrados que podemos beber hoje ou guardar por muitos anos. É maravilhoso abrir uma garrafa com mais de duas décadas e constatar que o vinho ainda está bom. E depois ler o contrarrótulo para saber qual o grau alcoólico que tinha na altura. Não sei se era o álcool que tinham ou se já existia essa preocupação na busca de vinhos com mais acidez.

Quero destacar dois vinhos da Região do Douro, que admiro muito. Os seus produtores são jovens, mas encontraram nas vinhas das zonas altas do Douro o equilíbrio perfeito para os seus vinhos. O projeto Olho no Pé e o Pormenor são dois exemplos de produtores que viram nestas vinhas o equilíbrio para os seus vinhos.

Olho no Pé Reserva. Vinhas velhas | Branco, 2017 | PVP: 10€

O Olho no Pé Reserva Vinhas Velhas branco 2017, de Tiago Sampaio, é um vinho que tem origem numa mistura de castas de vinhas velhas do Planalto de Alijó, a uma altitude entre os 500 e os 600m, com solos de xisto e granito. Fermenta e estagia durante 12 meses em barricas de carvalho francês (30% madeira nova). É muito complexo e elegante no nariz, mostra notas de fruta fresca, aromas florais bem integrados com notas da barrica. Em boca é gordo, mas com uma acidez e uma mineralidade fantásticas.

Trilho em Pormenor | Tinto 2015 | PVP: 35€

A novidade: o Trilho em Pormenor tinto 2015. Pedro Coelho encontrou em vinhas velhas de perto de S. João da Pesqueira a perfeição para este vinho, fruto de três vinificações diferentes. No nariz é vinoso, o aroma evidente a frutos vermelhos em perfeita harmonia com notas de especiaria, fruto do seu estágio de 24 meses em barricas usadas. Em boca é um vinho elegante, intenso, mantendo a linha aromática. Os taninos aveludados marcam presença tornando este vinho gastronómico e com grande potencial de envelhecimento.

Imobusiness