Festival Authentica

Kodaline no "maior festival de inverno": "Adoramos Portugal"

Kodaline no "maior festival de inverno": "Adoramos Portugal"

Primeira edição do festival Authentica arranca esta sexta-feira e dura dois dias no Altice Fórum de Braga. Além dos Kodaline, há mais de 30 artistas, incluindo De La Soul, James Bay, Rag 'n' Bone Man, ProfJam ou Dino D'Santiago.

Com várias passagens triunfantes por Portugal, os Kodaline, grupo "indie folk" irlandês, estão de volta e são cabeça de cartaz no "maior festival de inverno" - diz a organização - do país: o Authentica. A primeira edição é hoje, sexta-feira, e amanhã, sábado, no Altice Fórum de Braga. O cartaz contempla mais de 30 artistas estrangeiros e nacionais.

"O entusiasmo pelo nosso regresso é enorme", confessou o baterista dos Kodaline, Vinny May, ao JN, fazendo referência à digressão europeia em que o grupo está a apresentar o seu quinto álbum. "Sim, estamos muito excitados, mesmo, porque já não tocávamos há algum tempo. O que podem esperar de nós? Entrega total e um espetáculo acústico muito bonitos", diz Vinny.

PUB

O concerto desta noite em Braga será o último antes do Natal. E a banda liderada pelo vocalista Steve Garrigan sabe que tem um grande grupo de fãs em Portugal: "É uma experiência emocional quando vais a um país e não tens quaisquer expectativas e assim, de repente, ultrapassam todas as expectativas possíveis.", diz o baterista.

"Adoramos Portugal, os fãs portugueses são incríveis, são muito enérgicos, gostam de cantar connosco, estão sempre atentos", diz.

"Estamos extremamente gratos aos nossos fãs por nos colocarem nesta posição; passados 10 anos, estamos ainda a lançar discos e a fazer digressões por todo o mundo", diz-nos Vinny. O músico acrescenta que se lhe dissessem, quando era adolescente, que estaria a fazer disto vida, ele não acreditaria.

Disco acústico em regime "best of "

A banda irlandesa já conta com cinco álbuns e o último foi lançado em março, "Our roots run deep", que regista o espetáculo ao vivo, no Teatro Olymnpia, em Dublin, em formato acústico, com um "best of" da banda.

"Todas estas 17 canções são acompanhadas por guitarra acústica e piano. É tudo mais simples, mais belo. Quisemos voltar às nossas raízes e é daqui que vem o nome do álbum", explica Vinny. "Os nossos últimos quatro discos tiveram muita produção, muitas vozes, baterias, guitarras, e neste álbum mostramos como as canções começaram, despojadas, despidas mas muito bonitas".

"Ambiente fantástico"

O disco captura a atmosfera "muito singular" do Teatro Olympia. Sendo a banda natural de Dublin, a gravação do disco foi especial. Vinny recorda que a primeira vez que visitou o teatro tinha 5 anos de idade, estando acompanhado pelos pais e uma das irmãs. São várias as memórias que construiu lá: "É um local muito especial e fantástico, a atmosfera é muita boa porque a estrutura é a de um teatro e temos uma visão ampla de todo o público", refere o baterista.

Os Kodaline já atuaram em locais de Dublin que levam 25 mil pessoas, enquanto o Teatro Olympia só tem capacidade para 1200. Contudo, a banda sente que é um espaço "muito acolhedor" e "cheio de magia".

Este foi o ponto de partida para algo maior. Mal foi possível, deram início a uma "acoustic tour", uma digressão pela Europa que apresenta este novo álbum sem eletricidade. A passar por 29 cidades, os Kodaline iniciaram este caminho a 5 de outubro e terminaram-no a 23 de novembro. O JN apanhou-os na estrada, a quatro concertos de terminarem a tournée, numa noite em Estugarda, na Alemanha.

Vinny May confessa que "tudo corria muito bem" e "estava a ser muito divertido". "É muito diferente de um concerto normal e a reação até agora, tem sido muito boa e incrível". É isso que os fãs podem esperar esta sexta-feira em Braga, no 1.º Authentica.

Festival à espera de 18 mil pessoas

A primeira edição do "maior festival de inverno" pretende mudar mentalidades: "Os festivais não são só de verão", diz ao JN Marco Polónio, diretor-geral da Malpevent, promotora do Authentica. "Os festivaleiros, mais do que nunca, querem cultura o ano inteiro, e a partir de agora, Braga está finalmente na rota dos grandes Festivais", diz.

O cartaz contém mais de 30 artistas , incluindo Kodaline, Rag"n"Bone Man, James Bay, Luísa Sonza, Nothing But Thieves, Becky Hill, De La Soul, Rels B ou Mala Rodríguez. Mas também há estrelas nacionais: Profjam, Dino D"Santiago, Mundo Segundo & Sam The Kid, Jimmy P, Chico da Tina.

O festival conta com quatro palcos e prevê receber 18 mil festivaleiros em cada dia, tendo já registado a venda de bilhetes em 15 países.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG