Premium

Laginha e Camané: Uma cumplicidade de 20 anos para juntar piano ao fado

Laginha e Camané: Uma cumplicidade de 20 anos para juntar piano ao fado

"Aqui está-se sossegado" era apenas um espetáculo de Camané e Mário Laginha. Agora, é também um disco.

Atuaram pela primeira vez juntos na Culturgest, em Lisboa, no âmbito de um evento privado. Cimentaram essa cumplicidade desde então, já lá vão mais de 20 anos. Um é fadista. O outro é, de formação, músico de jazz. Ao seu mais recente projeto conjunto chamaram "Aqui está-se sossegado". Tem Camané na voz e Mário Laginha ao piano. Começou por ser um espetáculo e agora está plasmado num disco. O álbum será editado no dia 15 de novembro. E dia 20 de dezembro apresentam-no ao vivo no Coliseu dos Recreios, em Lisboa.

A primeira memória que têm de um encontro em palco foi no lançamento de um novo automóvel. "Era um evento privado " , recordou a propósito Mário Laginha. "De então para cá já temos colaborado mais vezes". Foi Camané que, há um ano, sugeriu que ambos fizessem uma série de concertos em que a sua voz fosse apenas acompanhada ao piano. "Mergulhamos a fundo na ideia de tocar o fado a dois. Foi um desafio enorme", reconheceu Mário Laginha, para quem o piano não visa substituir a guitarra de fado, porque é insubstituível. "Percebi que poderia fazer algo diferente mas com influência do som da guitarra".