O Jogo ao Vivo

Papa Francisco

Livro com citações do Papa tem primeira edição mundial em Portugal

Livro com citações do Papa tem primeira edição mundial em Portugal

Citações do Papa Francisco sobre a contraceção, o tango ou o sacerdócio estão reunidas no livro "Rezem por mim", que tem a primeira edição mundial em Portugal, na próxima segunda-feira, disse fonte das Edições Asa que chancela a obra.

A obra reúne citações do Pontífice, antes e depois de ter sido eleito no passado dia 13 de março, escolhidas pela investigadora Julie Schwietert Collazo e a escritora Lisa Rogak.

As citações vão desde o registo, pela agência Associated Press, quando Jorge Bergoglio afirmou "vou com eles, e no autocarro", recusando a limusina pontifícia, após ter sido eleito, a pequenos extratos de homílias suas, como a que proferiu em setembro de 2004 em que afirmou: "É possível construir uma nova civilização centrada no amor e na vida".

Natural da Argentina, o clérigo não é alheio ao tango que afirmou em 2010 ter dançado em jovem. "O tango é algo que me agrada muito. É algo que me sai cá de dentro", afirmou Jorge Bergoglio em 2010, numa entrevista.

Sobre o sacerdócio, carreira que decidiu seguir aos 21 anos, escreveu numa carta, aos sacerdotes da sua arquidiocese, em 1999: "Ser um sacerdote aberto significa 'que é capaz de ouvir embora se mantenha firme nas suas convicções'".

Sobre o cardinalato, ao qual ascendeu em 2001 por escolha do Papa João Paulo II, afirmou em fevereiro passado que "é um serviço, não é um prémio para nos gabarmos".

Um ano antes, tinha dito ao "Vatican Insider" que "os cardeais não são representantes de uma ONG [Organização Não-Governamental], são servos do Senhor, inspirados pelo Espírito Santo".

Sobre os métodos anticoncecionais, afirmou que "[os fanáticos antipreservativo querem] enfiar o mundo inteiro num preservativo".

A obra, além das citações sobre 163 temas, desde a cidade de Buenos Aires à vocação religiosa, passando pelos padres pedófilos, o papel do Papa, o neoliberalismo ou negócios no estrangeiro, inclui uma introdução que pretende fazer um retrato do eclesiástico e uma cronologia.

Na introdução, em que as autoras sublinham vários fatores inéditos deste Papa, como o ser o primeiro jesuíta a ocupar tal cargo e também o primeiro sul-americano, Schwietert Collazo e Lisa Rogak salientam "o estilo de vida muito pouco convencional" que sempre manteve, e o caráter "humano" e "próximo" com os seus concidadãos.

Segundo as autoras sempre recusou o tratamento por "Vossa Eminência", preferindo "que lhe chamassem 'padre Jorge'".

Referindo-se ao Papa Francisco, as organizadoras da obra escrevem: "É genuíno, com desejos humanos que não se coíbe de satisfazer" e acrescentam, "além disso, faz o que prega, com o que conquistou admiração e respeito em todo o mundo".