Cultura

Maior parte dos portugueses vai a espectáculos à borla

Maior parte dos portugueses vai a espectáculos à borla

Mais de 10 milhões de espectadores assistiram a espetáculos ao vivo em Portugal, em 2010, mas apenas 4,6 milhões pagaram bilhete, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística.

Cultura: Maioria dos espetadores não pagou bilhete para espetáculos em 2010 - INE

De acordo com os indicadores de Cultura referentes a 2010, registaram-se nesse ano 30.088 sessões de espectáculos ao vivo, o que inclui teatro, ópera, concertos de música clássica e ligeira (pop rock, por exemplo), dança, circo ou tauromaquia.

Nesses espectáculos estiveram 10,2 milhões de espectadores, praticamente o mesmo número que em 2009, mas apenas 4,6 milhões pagaram bilhete. Em 2009 tinham sido 4,1 milhões a pagar bilhete.

No total, em 2010 registaram-se receitas de 85,2 milhões de euros nos espectáculos ao vivo, mais 10,3% do que em 2009 (62,8 ME).

O INE fez um cálculo do preço médio de bilhete nos concertos de música ligeira, que rondou os 28,5 euros, enquanto o preço de uma entrada para um espectáculo de teatro foi de 9,1 euros.

Do total de sessões de espetáculos, o teatro ainda é o que representa a maior fatia (42%), mas apenas registou 8,2 milhões de euros de receita de bilheteira.

Foram os concertos de música ligeira (que incluem festivais de verão) que registaram maior número de espectadores, 3,8 milhões, e geraram mais receita de bilheteira, 50,3 milhões de euros.

Em 2010, segundo o INE estavam em funcionamento 367 recintos de espectáculos, entre auditórios, teatros, cineteatros e salas polivalentes.

No cinema, o INE reporta os dados estatísticos já conhecidos do Instituto do Cinema e Audiovisual referentes a 2010, que dão conta de 16,6 milhões de espectadores (mais 5,34% do que em 2009) e 82,2 milhões de euros (mais 11,4 % do que em 2009).