Música

Maria João Pires abre programação musical online da Gulbenkian

Maria João Pires abre programação musical online da Gulbenkian

Concerto da pianista inaugura programação gratuita da instituição na sexta-feira dia 12.

Uma atuação da pianista Maria João Pires vai abrir, na próxima semana, a programação musical online da Fundação Calouste Gulbenkian, a disponibilizar gratuitamente, a partir de sexta-feira dia 12, anunciou hoje a instituição.

A Orquestra Gulbenkian é comum a todos os cinco concertos com transmissão já agendada até final de fevereiro, às terças e sextas-feiras, em programas que partem de Mozart, para o romantismo de Brahms, seguem pela contemporaneidade de João Guilherme Ripper, com as suas "Cartas portuguesas", e pela modernidade de Shostakovitch, para regressarem ao classicismo, com Joseph Haydn.

Além de Maria João Pires, do Coro e da Orquestra Gulbenkian, e do seu maestro titular, Lorenzo Viotti, esta programação, a disponibilizar através do site da Gulbenkian Música, conta também com a soprano Carla Caramujo, o trompetista Carlos Leite e os regentes Hannu Lintu e Mihhail Gerts.

No dia 12 é transmitido o concerto dado pela pianista Maria João Pires em dezembro último no Grande Auditório com a Orquestra Gulbenkian, sob a direção de Lorenzo Viotti.

Maria João Pires interpretou, na altura, o Concerto n.º 20, para piano e orquestra, de Mozart, numa apresentação "inesquecível", afirma a Gulbenkian.

A programação online da Gulbenkian prossegue no dia 16 com a Sinfonia n.º 3, de Brahms, pela Orquestra, dirigida pelo maestro estónio Mihhail Gerts.

PUB

Sobre Gerts, a Fundação assinala a sua "notável, rápida e firme ascensão" como jovem maestro, "com estreias sucessivas à frente de prestigiadas orquestras como a Orchestra dell'Accademia Nazionale di Santa Cecilia [de Roma], a Royal Liverpool Philharmonic, a Sinfónica da BBC [ambas no Reino Unido], a Sinfónica de Antuérpia [na Bélgica] ou a Filarmónica da Radio France".

No dia 19 será disponibilizado o monodrama "Cartas portuguesas", do compositor brasileiro João Guilherme Ripper, encenado por Jorge Takla, sob a direção do maestro Hannu Lintu, com a soprano Carla Caramujo e o Coro e a Orquestra Gulbenkian.

A peça "Cartas portuguesas", que remete para as cartas atribuídas à freira de Beja Mariana Alcoforado (1640-1723), resulta de uma encomenda da Fundação Gulbenkian, com a Orquestra Sinfónica do Estado de São Paulo.

A 23 de fevereiro, o programa regressa ao maestro Lorenzo Viotti, na direção da 9.ª Sinfonia de Dimitri Shostakovitch. Uma obra "inspirada no classicismo vienense, mas à qual o compositor russo decidiu dar uma outra expressão".

O maestro suíço, titular da Orquestra Gulbenkian desde 2018, assumirá na próxima temporada, 2021/2022, o lugar de maestro titular da Filarmónica e da Ópera Nacional da Holanda, em Amesterdão, mantendo-se como maestro convidado principal em Lisboa.

As propostas da Gulbenkian para fevereiro terminam no dia 26, de novo com o maestro Mihhail Gerts, para a interpretação do Concerto para Trompete e Orquestra, de Joseph Haydn, tendo como solista Carlos Leite.

Os concertos ficam disponíveis, às terças e sextas-feiras, a partir das 19 horas, nas plataformas digitais da Fundação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG