Televisão

ERC está a analisar queixas contra programa da TVI Big Brother Famosos

ERC está a analisar queixas contra programa da TVI Big Brother Famosos

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) confirmou esta quarta-feira à Lusa que recebeu queixas sobre alegadas situações de violência psicológica e física no programa da TVI Big Brother Famosos, as quais "encontram-se em apreciação".

A ERC "confirma a receção de participações, submetidas por cidadãos e associações representativas, a respeito de alegadas situações de violência psicológica e física verificadas no programa Big Brother Famosos, emitido pela TVI", quando questionada sobre o tema.

PUB

"Estas participações encontram-se em apreciação pelos serviços da entidade", acrescenta o regulador dos media.

Sobre o ponto de situação, a ERC salienta que, "quando houver uma decisão a respeito das mesmas", o regulador "procederá como habitualmente à sua divulgação pública no seu sítio eletrónico".

A ERC não avança quantas queixas recebeu até ao momento.

O regulador acrescenta que quando houver decisão "ficará também público as emissões em causa e o número de participações apreciadas".

No passado domingo (13 de fevereiro), a Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG) anunciou que tinha apresentado uma denúncia ao Ministério Público pelo "comportamento ameaçador" do ex-presidente do Sporting Bruno de Carvalho para com uma outra concorrente do programa Big Brother Famosos.

Segundo a CIG, entidade que está integrada na Presidência do Conselho de Ministros, o comportamento do concorrente Bruno de Carvalho é "suscetível de configurar a prática de crime público de violência doméstica, na forma psicológica e física".

Na altura, a comissão adiantou que teve conhecimento de vídeos divulgados nas redes sociais que são retirados do programa televisivo Big Brother Famosos, em exibição pela TVI, "onde se pode assistir ao comportamento ameaçador do concorrente Bruno de Carvalho para com a sua namorada, a concorrente Liliana, chegando inclusive a agarrar o seu pescoço de forma indelicada e evidentemente desconfortável".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG