Média

Governo prepara ajudas aos média "à medida das televisões"

Governo prepara ajudas aos média "à medida das televisões"

O Governo está a preparar um conjunto de medidas de apoio aos meios de comunicação social, gravemente afetados pela crise instalada no país, na sequência da pandemia de Covid-19. No entanto, tudo indica que o pacote destinado a compensar a quebra de receitas de circulação e publicidade não vem ao encontro das necessidades dos editores de jornais e revistas nem, muito menos, de quem as distribui, considera Afonso Camões, administrador da Global Media Group.

"O pacote, como está neste momento, é feito à medida das televisões, porque não tem em conta a circulação dos jornais e revistas, os meios mais prejudicados com a crise de saúde e económica que estamos a viver", explica Afonso Camões, que salienta a quebra generalizada nas vendas provocada pelo encerramento de alguns milhares de quiosques e cafés em todo o país.

As medidas que o Governo está a preparar terão como base a quebra de receitas da publicidade no cálculo dos apoios, mas não o valor perdido com a diminuição abrupta na circulação, problema que não afeta as televisões.

"Sem imprensa escrita, é em primeira e última análise o direito à informação, o Estado de direito e a Democracia que ficam em causa", lembra ainda o administrador da Global Media Group, que detém, entre outros, o "Jornal de Notícias", o "Diário de Notícias", "O Jogo" e a rádio "TSF".

Também a VASP, responsável pela distribuição de publicações, recorda, em comunicado, a importância da "aprovação de medidas específicas de apoio ao setor da imprensa, que incluam toda a cadeia de valor, distribuição incluída, e não apenas medidas relativas à quebra do investimento publicitário".

"Sem o apoio do Estado, que estamos a solicitar, não vai ser possível manter, por muito tempo, a distribuição de imprensa a funcionar no mesmo modelo, e com as condições atuais, e seremos obrigados a tomar decisões e medidas que inevitavelmente irão penalizar, ainda mais, o setor da imprensa em papel", sublinha.

Outras Notícias