Média

Morreu o jornalista Carlos Machado 

Morreu o jornalista Carlos Machado 

Esta madrugada, O Jogo perdeu um dos seus pilares mais sólidos e um pouco da sua alma: faleceu o jornalista Carlos Machado, histórico chefe de redação, quadro mais antigo desta família e figura paterna e fraterna para muitas gerações de repórteres, incluindo a atual Direção. Morreu em casa, repentinamente, depois de mais uma edição fechada com os cuidados extremos de quem dedicou mais de metade da vida a um só jornal, que só por muito pouco não viu nascer.

Carlos Machado completaria 59 anos no próximo dia 28 de dezembro. Jornalista desde sempre, passou pelo Comércio do Porto, pelo Diário de Notícias, pela Capital e pelo Norte Desportivo, antes de assentar n'O Jogo, cuja redação dirigia há mais de duas décadas, sempre no mesmo tom sereno, tranquilo e educado.

N'O JOGO viveu todos os passos de uma carreira cheia. Conviveu de perto com várias das grandes figuras que marcaram, sobretudo, o futebol das décadas de 1980 e 1990. Era um personagem desses tempos, tanto como elas. Por várias vezes, a sua memória prodigiosa ajudou a preencher a bagagem desguarnecida dos colegas, com histórias que sabia contar, alguma delas secretas. Cobriu o Mundial"2006 e o Euro"2008, entre muitas competições, mas acabou por ser na banca e na liderança dos companheiros que deixou o trabalho invisível, anónimo e às vezes ingrato, que alterou para sempre este grupo de pessoas, dos jornalistas ao secretariado, dos gráficos aos técnicos. Para a Direção d'O Jogo era um terceiro elemento de pleno direito e uma fonte de sabedoria insubstituível.

Esta notícia demorou a ser escrita por força das dezenas de telefonemas e mensagens que deixam bem demonstrado que o Carlos Machado não deixou marcas apenas neste jornal. Juntamente com as nossas, reencaminhamos essas condolências para a esposa, filho e parentes.

*Diretor do jornal O Jogo

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG