O Jogo ao Vivo

Cultura

A última edição impressa do "The Independent"

A última edição impressa do "The Independent"

No dia em que publica a sua última edição em papel, o jornal britânico "The Independent" agradece aos leitores e frisa que a sua presença exclusivamente online é "um exemplo" a seguir no mundo inteiro.

Este sábado foi para as bancas a última edição em papel do jornal britânico "The Independent". No interior, um suplemento especial de 16 páginas, com mensagens de agradecimento aos leitores e recordações dos últimos 30 anos. "Durante três décadas, combatemos a hipocrisia, a ignorância, a tirania, a pobreza, a fraude e os absurdos das celebridades", lê-se, inicialmente, no editorial.

"Agora, publicamos em várias plataformas digitais e temos a nossa maior audiência de sempre. É por isso que o 'The Independent', longe de acabar, está a mudar. Hoje, as máquinas de impressão pararam, a tinta secou e o papel deixará de se enrugar. Mas conforme um capítulo se fecha, outro abre-se, e o espírito do 'The Independent' continuará a florescer. O nosso trabalho continua, a nossa missão resiste, a guerra ainda soa, e o sonho dos nossos fundadores nunca morrerá". Neste último editorial, os responsáveis asseguram ainda que a presença exclusivamente online, daqui em diante", é "um exemplo para outros jornais no mundo seguirem".

Lançado em 1986, a publicação britânica chegou a ultrapassar os 420 mil exemplares vendidos, diariamente, em 1989. No entanto, vítima da revolução digital, hoje em dia vendia apenas 60 mil cópias, e era o diário menos próspero no Reino Unido.

Recorde-se que o proprietário do jornal, o milionário russo Evgeny Lebedev, anunciou em fevereiro a decisão de acabar com as edições impressas - a diária e a de domingo, o "Independent on Sunday". "A indústria dos jornais está a mudar, e a mudança está a ser liderada pelos leitores. Eles mostram-nos que o futuro é digital", justificou, na altura.

O último "Independent on Sunday" foi para as bancas a 20 de março, despedindo-se, simplesmente, com: "Lights out" (em português, luzes apagadas).