O Jogo ao Vivo

Artes/Etc

Sofia Pinto Coelho leva "Vidas Suspensas" à SIC

Sofia Pinto Coelho leva "Vidas Suspensas" à SIC

A partir da próxima segunda-feira, às 21 horas, a SIC exibe o primeiro dos oito episódios de "Vidas Suspensas", o programa de informação que marca o regresso de Sofia Pinto Coelho, agora com Ribeiro Cristóvão, à grande reportagem da estação de Carnaxide.

"Vidas Suspensas" aborda casos de pessoas cujas vidas se cruzaram com a justiça e que se mantém na expectativa de uma resolução dos respetivos casos. O formato semanal é da autoria de Sofia Pinto Coelho, que regressa assim à grande reportagem num programa de informação sete depois de 'Condenados'.

A jornalista escolheu dar ênfase a estas histórias porque "há muitas pessoas que contactam a SIC com problemas judiciais para os denunciar, na expectativa de que os seus assuntos sejam resolvidos mais rapidamente. "Mas há cada vez mais pessoas que percebem que as histórias têm de ser divulgadas e que podem ajudar outros casos", explicou ao JN Sofia Pinto Coelho, na apresentação do formato no espaço Espelho D'Água, em Lisboa.

"Este programa é sobretudo uma vitória da resistência. Nos tempos difíceis que correm para a imprensa, é uma grande vitória conseguirmos fazer programas de informação que levam muito tempo e que consomem bastante dinheiro. Seria muito mais fácil fazermos isto rápido e de alguma forma explorando o sentimento das pessoas. Nessa medida, penso que é serviço público", prosseguiu.

Alcides Vieira, diretor-geral adjunto da informação do grupo Impresa, explicou o motivo que está na origem da criação do formato. "É um projeto original que começou a ser pensado como uma rubrica do 'Jornal da Noite' e depois ganhou força e acabou por se transformar num programa autónomo".

"Vidas Suspensas" é, segundo o responsável, o primeiro de um conjunto de formatos previstos para o longo do ano, no âmbito da celebração dos 25 anos de informação da SIC. "Temos como objetivo de criar uma linha de produção que vai além do fluxo informativo corrente, como é o caso do Primeiro Jornal e do Jornal da Noite", acrescentou.

Questionado pelo JN sobre o regresso de Conceição Lino ao pequeno ecrã, Vieira garantiu, sem adiantar mais pormenores, que a jornalista voltará "brevemente" com um novo projeto. Conceição Lino está afastada dos ecrãs desde outubro de 2014.

A apresentação e locução de "Vidas Suspensas" estão a cargo do jornalista Ribeiro Cristóvão. "Foi uma situação que não previa. Resultou de um convite que me foi feito pelo Alcides Vieira, que há muito queria desafiar-me para algo que não estivesse ligado ao desporto ou com o comentário sobre futebol. Aceitei imediatamente e a partir daí começámos a trabalhar naquilo que hoje é um projeto interessante e que certamente vai merecer a aceitação dos espetadores", explicou.

Através do programa, cujo primeiro episódio arranca com a história de Delfim, o recluso mais antigo de Portugal, Ribeiro Cristóvão espera dar mais visibilidade a estes casos com vista à sua resolução. Ainda assim, o jornalista não considera que o formato seja o espelho de uma justiça pouco eficaz. "Tendo embora algumas razões para nos queixarmos da nossa justiça, sobretudo no que tem a ver com a morosidade dos seus processos e que às vezes dão azo a situações perfeitamente inaceitáveis, creio que não temos razões para nos queixarmos totalmente da justiça em Portugal".

ver mais vídeos