Homenagem

Políticos reagem à morte da "inigualável senhora dos palcos portugueses"

Políticos reagem à morte da "inigualável senhora dos palcos portugueses"

O presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva, considerou que a atriz Eunice Muñoz foi "a inigualável senhora dos palcos portugueses", defendendo que sem ela a cultura teria sido mais pobre.

A atriz Eunice Muñoz morreu hoje, no Hospital de Santa Cruz, em Lisboa, aos 93 anos, disse à agência Lusa o filho da atriz. Nascida na Amareleja, no distrito de Beja, em 1928, Eunice Muñoz completou em novembro 80 anos de carreira.

"Deixou-nos há pouco Eunice Muñoz, a inigualável senhora dos palcos portugueses. Sem ela, a nossa cultura teria sido mais pobre. Honremos a sua memória, continuando a celebrar o teatro", escreveu o presidente da Assembleia da República, numa mensagem que publicou na sua conta na rede social Twitter.

Ministro da Cultura destaca "enorme aplauso" dos portuguesas à atriz

O ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, destacou a relação próxima e íntima dos portugueses com a atriz Eunice Muñoz e o "enorme aplauso" que recebeu em vida e será mantido, lamentando com consternação a sua morte.

"Neste momento devemos-lhe o mesmo aplauso que sempre lhe oferecemos, um aplauso de certa forma eterno", declarou o ministro à agência Lusa, comentando a morte hoje da atriz, aos 93 anos. "Foi um privilégio para Portugal e para os portugueses ter uma atriz como Eunice Muñoz. Tinha um talento quase natural e um dom único para a representação e, por isso mesmo, para nós todos, a vida da Eunice Muñoz confunde-se com os palcos e com o teatro, é uma espécie de relação íntima que todos fomos desenvolvendo com a mulher doce e afável", disse o governante.

PUB

"Um dos principais símbolos do teatro português"

O presidente do PSD, Rui Rio, enalteceu e considerou a atriz Eunice Muñoz como "um dos principais símbolos do teatro português". "A minha homenagem a um dos principais símbolos do teatro português e uma mulher que eu muito admirava e cuja memória para sempre guardarei com o mais genuíno respeito", escreveu o social-democrata, na rede social Twitter.

Por sua vez, a coordenadora do Bloco de Esquerda (BE) afirmou que Eunice Muñoz foi uma atriz "extraordinária e inigualável" com uma carreira "absolutamente brilhante", desejando que o seu trabalho seja "lembrado e vivido". "Queria transmitir os meus sentimentos à família e amigos de Eunice Muñoz que foi uma atriz extraordinária e inigualável com uma carreira absolutamente brilhante e que se foi reinventando ao longo de 80 anos", afirmou Catarina Martins aos jornalistas, à margem da apresentação do programa do Desobedoc 2022 - Mostra de Cinema Insubmisso, no Porto.

O CDS lamentou a morte de Eunice Muñoz, destacando o seu "profissionalismo e paixão" e considerando que terá "sempre um papel fundamental na história e vida cultural portuguesas". "O CDS realça o caráter, o profissionalismo e paixão com que agarrava as personagens que abraçou e a generosidade e simplicidade na relação com os outros e com os colegas", refere uma nota assinada pelo vice-presidente do CDS e vereador da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa Diogo Moura.

Um "talento prodigioso" aliado à "maior simplicidade"

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa considerou que Eunice Muñoz foi a "expressão de como um talento prodigioso pode estar aliado à maior simplicidade como ser humano", prestando "sentida homenagem" à atriz. "Como presidente da Câmara Municipal de Lisboa, representando o sentimento comum a todos os lisboetas, e a título pessoal, quero prestar sentida homenagem a Eunice Muñoz, uma excecional atriz a quem todos muito devemos", salientou Carlos Moedas numa nota de pesar.

Segundo o autarca, nos 80 anos da sua "longa vida dedicados à representação", a atriz foi a "expressão de como um talento prodigioso pode estar aliado à maior simplicidade como ser humano numa dádiva constante ao teatro e à cultura portuguesa".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG