Óbito

Morreu Carlos Ruiz Zafón, autor de "A Sombra do Vento"

Morreu Carlos Ruiz Zafón, autor de "A Sombra do Vento"

O escritor espanhol morreu aos 55 anos nos Estados Unidos da América. O autor do livro "A Sombra do Vento" lutava contra um cancro desde 2018.

Carlos Ruiz Zafón faleceu esta sexta-feira na sua casa em Los Angeles, nos Estados Unidos, onde vivia desde 1993. A morte foi confirmada pela editora Planeta ao jornal espanhol "El País".

O escritor foi autor de vários "bestsellers", onde se destaca o livro "A Sombra do Vento" publicado em 2001 e que fazia parte da tetralogia "O Cemitério dos Livros Esquecidos". A obra vendeu milhões de exemplares em todo o mundo e foi considerado em 2007 um dos melhores 100 livros em língua espanhola dos últimos 25 anos. Em Portugal, Zafón foi distinguido em 2006 com o Prémio Casino da Póvoa no festival Correntes d'Escritas, na Póvoa de Varzim.

Além dos romances, o autor trabalhava na indústria de Hollywood na escrita de argumentos e colaborava com jornais espanhóis como "La Vanguardia" e "El País". O escritor sempre recusou em inúmeras entrevistas que a sua obra mais famosa, "A Sombra do Vento", fosse adaptada para o grande ecrã. À agência de notícias EFE, Zafón revelou que queria ajudar os leitores a redescobrirem o prazer de ler. "Eu não quero passar os próximos anos da minha vida a refazer algo que na minha cabeça já está na sua versão definitiva", admitiu.

Em entrevista ao JN, em 2016, aquando da publicação do quarto e último livro da saga, "O Labirinto dos Espíritos", Carlos Ruiz Zafón admitiu que não espera que o processo de escrita demorasse tanto tempo: "15 anos de trabalho". "Foram anos de viagens, de apresentação de livros, de escrever e de reescrever. A ideia foi crescendo, eu próprio também fui amadurecendo, olhando de outra maneira para o que ia escrevendo", disse.

Homenagem da editora

"Carlos Ruiz Zafón, Barcelona, 1964 - Los Angeles, 19 de junho de 2020", lê-se na página dedicada ao autor no portal da editora Planeta.

"Hoje é um dia muito triste para toda a equipa da Planeta, que conheceu e trabalhou com o escritor durante 20 anos, durante os quais se forjou uma amizade que transcende o profissional", lê-se no mesmo comunicado.

Zafón morreu, mas continuará muito vivo "através dos seus livros", conclui a editora.

Outras Notícias