O Jogo ao Vivo

Festival

Nem a chuva parou os festivaleiros no regresso ao "Couraíso"

Nem a chuva parou os festivaleiros no regresso ao "Couraíso"

Bandas e músicos nacionais abriram o festival Vodafone Paredes de Coura, com a pequena partida do tempo.

Após dois anos estagnado, qual a melhor maneira de começar um festival senão num dia dedicado àqueles que fazem jus à música portuguesa? Foi isso que aconteceu no primeiro dia do Vodafone Paredes de Coura, que dedicou à música criada por artistas nacionais o primeiro dia do seu regresso ao calendário, ao cabo de dois verões sem festival, devido às restrições da pandemia.

Os concertos arrancaram às 14 horas, não dando descanso aos pés dos aficionados dos vários géneros musicais. A banda The Lemon Lovers foi quem deu as boas-vindas ao som de blues rock & roll, mas pelo palco principal passaram ainda nomes como Samuel Úria (com pop e indie rock) e o recente trio Linda Martini a "dar-lhe no rock alternativo".

PUB

Lá estiveram também Mão Morta com o seu rock avant-garde, assim como o rapper Sam The Kid, que combina o hip-hop com elementos clássicos, juntando-se à Orquestra e Orelha Negra.

A contar os dias para o regresso tão esperado do festival, muitos já ali se instalaram um mês antes de começar o evento, fazendo do anfiteatro natural junto ao rio Coura uma espécie de casa. Ainda assim, ontem viam-se muitas pessoas a carregar a tenda às costas, na esperança de encontrar, entre a multidão, um pequeno oásis onde pudessem deitar a cabeça à noite.

público fintou a chuva

Ainda que marcado pela (muita) chuva, o espírito festivaleiro demonstrou ser sempre o último a morrer: amigos ou não, os campistas conviviam debaixo de toldos, dentro de tendas ou ao relento, não deixando que a memória do primeiro dia fosse corrompida pelas nuvens que cobriam o céu.

Jogos de cartas, concertos amadores e danças com os pés na lama foram as formas encontradas para passar o tempo enquanto se esperava pelo sol.

Mesmo após 29 anos, o habitat natural da música continuou a unir pessoas de diferentes estilos, idades e géneros, mesmo que a forma de estar seja diferente. Uns aventuram-se no "crowd surfing", outros arriscam a entrar nos moches e outros apenas estendem a toalha e apreciam de longe... Porém, todos com o mesmo objetivo de ouvir música e passar um bom tempo no festival a quem muitos chamam "Couraíso".

E ontem foi, afinal, apenas o primeiro dia de uma festa que tem ainda quatro dias pela frente. Beach House, Idles e Badbadnotgood são alguns dos nomes que sobem hoje ao Palco Vodafone, sendo seguidos, amanhã, por Yellow Days, Turnstile e L"Impératrice.

Já na sexta-feira, serão Arlo Parks, The Blaze e Ty Segall & Freedom Band, entre muitos outros, a fazer-se ecoar pelo recinto. Para o último dia, fica a promessa de acabar em grande, com a presença em palco de nomes como Princess Nokia, La Femme e Pixies.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG