Inauguração

Nenhum homem é uma ilha, também na arte

Nenhum homem é uma ilha, também na arte

Ó! Galeria inaugura este sábado, no Porto, a sua maior exposição coletiva, com mais de 70 ilustradores, nacionais e estrangeiros

"Ninguém é uma ilha/ Entregue a si só. / Todos são pedra do continente / Uma parte do todo". Começa assim o poema "No man is an island" ("Nenhum homem é uma ilha"), do poeta e pregador inglês John Donne (1572-1631), que funciona como nome e como ponto de partida para a 21.a exposição coletiva da Ó! Galeria, na Baixa do Porto - a maior mostra realizada neste espaço desde a sua fundação, há já 11 anos.

Esta tradicional coletiva de verão, que reúne mais de 70 ilustradores, nacionais e internacionais, entre consagrados e talentos em ascensão, é um apelo "ao diálogo, ao companheirismo, à esperança e à beleza da arte" depois de mais de um ano de vida separada. Inaugura amanhã, às 16.30 horas, no número 61 da Rua de Miguel Bombarda, e cumpre o objetivo de alargar o leque de ilustradores divulgados por este espaço e a promoção do diálogo entre artistas.

A fundadora da Ó! Galeria, Ema Ribeiro, explicou ao JN que a iniciativa se enquadra "na perfeição" no momento que vivemos. "A pandemia mostrou-nos que precisamos, mais do que nunca, da companhia do outro, do apoio do outro, tanto na vida pessoal como na vida profissional. Esta exposição, juntamente com a mensagem transmitida no poema de John Donne, só vem reforçar essa ideia de que todo o trabalho feito em conjunto tem mais força. A importância do coletivo é sempre indispensável, principalmente nestes momentos mais difíceis".

Por essa razão, continua, "entendemos que seria interessante que os ilustradores convidados por nós convidassem outros ilustradores com quem gostassem de fazer uma parceira para trabalharem na criação das peças a apresentar". Ou seja, que nas duas ilustrações resultantes dessa colaboração "fossem visíveis pontos comuns, seja nos materiais, na mensagem, na comunicação entre ambos, nas inspirações ou até nos estilos". Os resultados_"superaram as expectativas".

Parcerias prováveis

Dentro deste universo de colaborações prováveis encontram-se nomes como Carolina Celas, que trabalhou com Inês Viegas de Oliveira, Susie Hammer, em colaboração com o Gabinete Exquisito, ou ainda Marta Madureira, que convidou Catarina Gomes para ser a sua parceira neste projeto. A intenção é que todas as ligações artísticas procurem demonstrar o poder do coletivo e reforçar a ideia de "No man is an island", ou seja, que ninguém está por si só.

PUB

Mariana, a Miserável, que recentemente assinalou neste espaço os seus dez anos de carreira com o lançamento do livro "Menino das lágrimas", Júlio Dolbeth, Leonor Zamith, Maria Herreros, Yara Kono e Clara Não são outros artistas que integram esta exposição, que fica patente até o dia 9 de setembro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG