Cinema

Novo cinema espanhol à descoberta no CineFiesta

Novo cinema espanhol à descoberta no CineFiesta

Cinema São Jorge, em Lisboa, exibe nove filmes de hoje até ao dia 30.

Depois da Festa do Cinema Francês e da Festa do Cinema Italiano, o CineFiesta. Desta vez é o cinema mais recente dos nossos vizinhos que se mostra ao público da capital. E se a obra de Pedro Almodóvar é bem conhecida entre nós - o seu último filme, "Mães paralelas", estreia na próxima semana - há muito mais para descobrir no cinema que se faz aqui mesmo ao lado.

O CineFiesta, parte integrante de uma iniciativa mais vasta, a Mostra Espanha, incluirá ainda, na Cinemateca Portuguesa, quatro filmes recentemente restaurados pela Filmoteca Espanhola, com destaque, já amanhã, para a exibição de "El jefe politico" de André Hugon, realizado em 1924 e que será acompanhado ao vivo por Miquel Brunet, compositor da nova banda sonora do filme.

Das nove obras de produção recente a exibir no São Jorge, três foram programados em parceria com outros tantos festivais de cinema portugueses, o Indie Lisboa, o Doc Lisboa e o Queer Lisboa. Mostrando que o ICAA, o Instituto da Cinematografia e das Artes Audiovisuais espanhol, está fortemente empenhado na difusão do seu cinema no exterior, quase todos os filmes serão apresentados pelos seus realizadores ou atores.

O CineFiesta abre hoje com a projeção de "Chavalas", de Carol Rodríguez Colás, um dos quatro trabalhos dirigidos por mulheres que compõem a mostra, outra das características do programa que é proposto. O filme acompanha quatro amigas, inseparáveis na adolescência, que voltam a encontrar-se no para reviver a amizade que as uniu, partilhar novas aventuras juntas e enfrentar os dilemas que as rodeiam. Uma obra que tem obtido imenso sucesso junto do público.

Estreado em Roterdão e com passagem em Moscovo e San Sebastian, "Destello bravío" de Ainhoa Rodriguez é a história de três mulheres de uma pequena localidade rural, suspensa no tempo e fustigada pelo despovoamento, e que vivem entre a apatia do seu dia-a-dia onde não acontece nada de especial e um profundo desejo de experiências libertadoras que façam com que se reencontrem com o lugar onde foram felizes ou sonharam sê-lo.

"Karen", segunda longa-metragem de María Pérez Sanz, constrói um retrato íntimo, elegante e delicado dos últimos tempos em África de Karen Blixen, protagonizada por Christina Rosenvinge, autora também da banda sonora. Mas há mais filmes a descobrir, como "La última primavera" de Isabel Lambertí, programado na seção ACID de Cannes; "La primera mujer" de Miguel Eek; "The mystery of the pink flamingo" de Javier Polo, que evoca o universo de John Waters; e uma sessão para a família, com a primeira exibição em Portugal de "Turuleca - A grande aventura" de Víctor Monigote e Eduardo Gondell, que venceu o Prémio Goya para Melhor Filme de Animação.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG