Música

Olisipo, uma nova rádio online que apoia os músicos independentes

Olisipo, uma nova rádio online que apoia os músicos independentes

A plataforma pretende acolher e promover artistas que nem sempre têm espaço no mainstream, bem como divulgar entrevistas sobre o impacto da pandemia na cultura.

Nasceu uma rádio, baseada em Lisboa mas voltada para o mundo. Sem limites, sem contenções de estilos e sem implicações comerciais, a Rádio Olisipo é uma plataforma online que pretende promover a música independente, a pesquisa etnomusicológica, seguir o lançamento de trabalhos discográficos e divulgar novos sons.

O projeto foi lançado e pensado por Francesco Valente, músico nascido em Itália mas que reside em Portugal há vários anos, e que já tocou com bandas e nomes como Manu Chau, Terrakota e Tora Tora Big Band. Ao JN, o artista explica que tudo arrancou em 2020, numa Itália completamente fechada por um vírus que acabara de chegar.

"Começou durante a pandemia, pois no início fui chamado para gravar um disco em Itália mas fiquei bloqueado por causa do primeiro confinamento", conta. Francesco tinha planeado ficar dez dias naquele país. Ficou 95. Durante esse período geraram-se, explica, "novas ideias" e "novas reflexões sobre o nosso papel como músicos", tendo por isso começado uma pesquisa sobre a situação dos artistas naquela altura única, feita de concertos cancelados, tournées eliminadas, "ausência absoluta de eventos ao vivo". Uma pesquisa etnomusicológica, "consistindo em dezenas de entrevistas com músicos, técnicos, produtores e outros artistas", conta. Com este conjunto de entrevistas lançou o Projeto Ágora, apoiado pela DGArtes.

Para criar uma plataforma que ajudasse a divulgar este vasto material, feito para "refletir a vivência dos músicos e artistas neste período", surgiu depois a Rádio Olisipo. Já no ar, mas oficialmente lançada este domingo. Aqui, além de acolher a pesquisa etnográfica, pretende-se criar uma plataforma de apoio sobretudo aos discos que foram concebidos nestes dois anos, "mas alargando de forma a apoiar toda a música independente e divulgar o lançamento de discos que eventualmente não teriam nas rádios mais comerciais espaço para serem divulgados", frisa o mesmo responsável.

Na prática, além da emissão de música 24 horas por dia, a rádio tem programas, entrevistas, podcasts e, claro, o Projeto Ágora. "Temos música, programas de autor com pesquisas individuais sobre a música, entrevistas sobre lançamentos de discos, playlists de DJ nacionais e internacionais; e também espaço para publicar finalmente as entrevistas da pandemia", refere Valente, que é também licenciado em Música Jazz/ Contrabaixo e mestre e doutorando em Etnomusicologia.

Entre os DJ há nomes conhecidos, como Zé Lencastre, Magupi, Maze, La Dame, DJ Pancho, os Irmãos Makossa e Katerina L'dokova. O título da plataforma, Olisipo, foi escolhido porque "a base e a maior parte das entrevistas será em Lisboa", mas tal não implica que não sejam feitas mais, lá fora. Por seu turno, os artistas que quiserem tentar mostrar o seu trabalho podem fazê-lo, enviando-o para os contactos de propostas do site.

PUB

A rádio, que pode ser ouvida em www.radiolisipo.com, é independente e sem fins lucrativos. Na génese recebeu apoio do Ministério da Cultura mas no futuro tentará novos auxílios e conta também com donativos de fãs através do site, pretendendo não ter publicidade. "Queremos ser uma rádio para os ouvintes e também apoiada pelos ouvintes" conclui Francesco, adiantando que estão ainda a ser preparados conteúdos traduzidos, para melhorar o alcance internacional.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG